Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
25/10/2005

Febre Aftosa: Nota Técnica São Paulo Nº 01 - 25/10/2005

O Estado de São Paulo, através da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, quando da notificação da ocorrência de focos de febre aftosa no Estado do Mato Grosso do Sul, no município de Eldorado e a abrangência da área focal para os municípios de Iguatemi, Itaquiraí, Japorã e Mundo Novo, publicou a Resolução SAA nº 31, de 11/10/2005, que proibiu o ingresso e trânsito, no território paulista de animais sensíveis à febre aftosa, produtos e subprodutos, com o estabelecimento de intensa fiscalização do trânsito em pontos de divisa dos Estados de SP e MS. Posteriormente, após análise de risco, através da Portaria CDA nº 47, de 19/10/2005, foram permitidos o ingresso e o trânsito de produtos e subprodutos oriundos do Estado do Mato Grosso do Sul, sob determinados critérios, exceto dos municípios da área focal, através do direcionamento da movimentação para três corredores sanitários, nos municípios de Presidente Epitácio, Castilho e Rubinéia.

Em 21 outubro de 2005 fomos informados da ocorrência de suspeitas de febre aftosa em propriedades do Estado do Paraná, nos municípios de Maringá, Grandes Rios, Amaporã e Loanda, que tiveram relação epidemiológica com o foco de febre aftosa do Mato Grosso do Sul. Por questões de ordem sanitária o Estado de São Paulo adotou as mesmas medidas em relação ao Mato Grosso do Sul, publicando a Resolução SAA nº 35, de 21/10/2005, estabelecendo fiscalização do trânsito de animais, produto e subprodutos na divisa dos Estado de SP e PR. Solicitado do DEFIS/PR, na pessoa do Dr. Felisberto Baptista recebemos, via eletrônica, todo o ingresso de animais sensíveis à febre aftosa em São Paulo, dos últimos 60 (sessenta) dias.

Preliminarmente, considerando a movimentação do Paraná para São Paulo do mês de outubro/2005, repassamos a médicos veterinários do GEASE a listagem das propriedades para o rastreamento dos animais ingressos. O rastreamento teve início no domingo (23/10/2005), contemplando 18 Escritórios de Defesa Agropecuária, 24 municípios 17 propriedades com bovinos (806 cabeças), 9 com suínos (793 cabeças), 6 com ovinos (7 cabeças) e 1 com caprinos (20 cabeças).

Ainda no domingo, no jornal Folha de São Paulo, foi veiculada a notícia de que animais dos municípios de Itapetininga/SP, São Carlos/SP e Restinga/SP estiveram num evento em Londrina, do qual participaram animais com suspeita de febre aftosa, oriundos do Mato Grosso do Sul. Referidos animais retornaram a São Paulo. Novamente verificando a planilha enviada pelo DEFIS/PR, verificou-se nada existir com relação aos municípios de Itapetininga e São Carlos, constando apenas Restinga. As propriedades faltantes foram incluídas na lista para vistoria e repassadas à equipe do GEASE e submetidas à vistoria. As propriedades foram formalmente notificadas quanto à restrição da movimentação dos animais suscetíveis à febre aftosa, para fins de acompanhamento dos mesmos.

Hoje, 25/10/2005, o rastreamento dos animais que ingressaram em São Paulo, vindos do Paraná, está praticamente concluído, faltando os dados de apenas 2 regionais. Podemos assegurar que não foi constatada nenhuma sintomatologia sugestiva de doença vesicular. O rastreamento dos animais que vieram do Paraná no mês de setembro/2005 também está sendo realizado.

Oportuno salientar que o rastreamento dos animais que ingressaram do Mato Grosso do Sul em São Paulo teve início no dia 24/10/2005, com base numa planilha a este Serviço enviada pelo IMA/MG. A planilha enviada pelo MAPA foi disponibilizada na data de hoje, 25/10/2005. - Grupo de Defesa Sanitária Animal- GDSA/CDA.