Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
10/10/2005

São Paulo barra entrada de produtos do Mato Grosso do Sul.

O Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e presidente do Fórum Nacional de Secretários de Agricultura, Duarte Nogueira, em reunião realizada nesta segunda-feira (10/10), com a equipe de Defesa Agropecuária do Estado, determinou a intensificação da fiscalização e o deslocamento de equipes volantes de fiscais agropecuários para a região de fronteira com o Estado do Mato Grosso do Sul.

O plano emergencial foi apresentado após a constatação, por parte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) de um foco de febre aftosa no município de Eldorado (MS). O plano de ação, apresentado pelo Secretário Nogueira e pelos técnicos de Defesa da Secretaria, inclui a proibição de entrada de bovinos, carne processada e outros produtos de origem animal vindos dos municípios notificados pelo Ministério no estado do Mato Grosso do Sul – Eldorado, Iguatemi, Mundo Novo, Itaquiraí e Japorã (parte do raio de abrangência previsto pela legislação).

O Estado do Mato Grosso do Sul é o segundo maior produtor de carne bovina do Brasil. “É muito importante o empenho de todos, pois uma situação como esta pode provocar um desastre em nossas exportações. A infra-estrutura e logística dos frigoríficos paulistas permitem que exportemos quase 70% da carne bovina brasileira, portanto somos um corredor e a sanidade de nosso rebanho é garantia de divisas para todo o país”, explica o Secretário Duarte Nogueira. Ele completa que um foco de aftosa na região exportadora brasileira deve finalmente despertar as autoridades para a necessidade de mais recursos à defesa agropecuária. “Este é tema recorrente no Fórum Nacional de Secretários de Agricultura, a importância da sanidade dos rebanhos e a necessidade de recursos”.

No plano de ação, serão intensificadas as barreiras em municípios próximos a fronteira com Mato Grosso do Sul e com ligação as grandes rodovias paulistas, são eles: Rubinéia, Santa Fé do Sul, Ilha Solteira, Castilho, Paulicéia, Presidente Epitácio, Rosana, Ourinhos e Assis. Há quase 10 anos sem registrar foco da doença, o Estado de São Paulo é considerado zona livre da febre aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), com sede em Paris, encarregada de exercer a vigilância sobre a segurança sanitária do comércio mundial dos animais e de seus produtos.

“As campanhas de vacinação têm apresentado ótimos resultados. Já na primeira fase da vacinação contra a aftosa, realizada durante o mês de maio, nosso Estado atingiu 99,41% de vacinação voluntária do rebanho, que é de 13.650.423 cabeças (bovinos e bubalinos). Há cinco semestres, os índices são acima de 99%”, afirma o secretário. Assessoria de Comunicação/SAA