Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
07/11/2005

SP também vacina contra a raiva dos herbívoros

Até o dia 30 de novembro o criador paulista de 14 regiões do Estado (Bragança Paulista, Franca, Guaratinguetá, Itapetininga, Itapeva, Mogi das Cruzes, Mogi Mirim, Orlândia, Pindamonhangaba, Registro, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista, São Paulo e Sorocaba), deve vacinar, além de bovinos e bubalinos, toda a população de eqüinos, ovinos e caprinos contra a raiva dos herbívoros, uma doença transmitida pelo morcego hematófago, que não tem cura e traz prejuízos econômicos ao produtor.

Segundo o médico veterinário Vladimir de Souza Nogueira Filho, responsável pelo Programa de Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros, da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, houve redução significativa no número de registrados propriedades com diagnóstico positivo no Estado nos últimos cinco anos. "Em 2000 foram diagnosticados 773 casos, em 2001, 536 casos, em 2002, 203 casos, em 2004, 64 casos e este ano, apenas 52. As áreas mais críticas estão nas regiões da Serra da Mantiqueira, Vale do Paraíba e Assis.

A vacinação é importante porque protege os animais quando atacados por morcegos contaminados, aliado a isso a Defesa Agropecuária realiza um trabalho intensivo de capturas de morcegos hematófagos e orientação ao criador. Ele deve estar atento sobre a ocorrência de mordedura nos animais. Caso apareçam muitos animais mordidos, o que indica a presença de grande quantidade de morcegos, deve informar imediatamente o Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) da região. Notando apenas uma ataque pequeno, o próprio criador pode fazer a aplicação da pasta vampiricida, ao redor da mordedura. Como explica Nogueira, o morcego tem o hábito de retornar para sugar o sangue no mesmo local. Ao fazer isso, ele entrará em contato com a pasta, que provocará sua morte.

A CDA mantém 18 equipes, atuando no Estado, nos trabalhos de captura e controle dos morcegos hematófagos, dessas, nove equipes trabalham em sistema de mutirão. São 40 profissionais envolvidos durante todo o ano nesse trabalho.

A vacinação contra a raiva dos herbívoros nas 14 regiões do estado de São Paulo é obrigatória e é realizada nos meses de maio e novembro. A previsão é que este ano cerca de 2.800.000 animais sejam vacinados. Na primeira etapa realizada em maio o índice de cobertura de vacinação foi de 98,63%.