Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
06/12/2006

Aftosa: Pecuarista tem até quinta-feira (07/12) para comprovar a vacinação.

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa foi realizada no estado de São Paulo durante o mês de novembro. Neste período foram vacinados todos os bovinos e bubalinos do rebanho. O pecuarista tem até esta quinta-feira (07/12) para apresentar ao Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) ou à unidade de defesa do município a nota fiscal da vacina e a relação dos animais vacinados. Após esta data, a Coordenadoria de Defesa Agropecuária, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, irá visitar as propriedades sem comunicação e determinar a imunização do rebanho

O criador, que deixou de vacinar os animais está sujeito às penalidades previstas pela legislação: 5 Ufesps (R$69,65) por cabeça, por não vacinar e 3 Ufesps (R$41,79), por cabeça, por deixar de comunicar a vacinação

São Paulo está há 10 anos sem registrar um único caso de aftosa. Na primeira etapa da campanha, realizada durante o mês de maio, 99,50% do rebanho paulista de 13,5 milhões de cabeças foi imunizado.

Quando da ocorrência de aftosa no Mato Grosso do Sul e Paraná, o estado de São Paulo realizou um trabalho intenso de defesa com corredores sanitários, suspensão de eventos agropecuários e rastreamento de gado proveniente daqueles estados. O Governo está empenhado na derrubada dos embargos de vários países à carne bovina paulista.

Raiva dos herbívoros – Além de vacinar contra a febre aftosa, pecuaristas de três regiões do Estado (Guaratinguetá, Mogi das Cruzes e Pindamonhangaba) realizaram a vacinação obrigatória contra a raiva dos herbívoros. Além de bovinos e bubalinos, toda a população de ovinos, caprino, bubalino e eqüídeo de foi vacinada. O criador que não vacinou e não comprovar a vacinação sofrerá as mesmas penalidades estabelecidas para a aftosa.

Teresa Paranhos - Assessoria de Impresa/CDA