Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
07/04/2008

Aftosa: monitoramento soroepidemiológico inicia a segunda fase.

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por sua Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) realiza a segunda fase do monitoramento soroepidemiológico para detecção da atividade viral para a febre aftosa no estado de São Paulo.

O monitoramento é uma atividade com periodicidade anual, realizada sob a coordenação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). É desenvolvido em três fases. Na primeira fase, realizada no estado de São Paulo durante o mês de fevereiro, foram colhidos soro sanguíneos de 114 propriedades, em 92 municípios, num total de 3.745 amostras. Após o resultado laboratorial foram excluídas da triagem 85 propriedades que não apresentaram reação. Na segunda fase, realizada na primeira semana de abril, será pesquisada a atividade viral em 29 propriedades, localizadas em 26 municípios. Foram colhidas 1.073 amostras que serão encaminhadas ao Lanagro - Porto Alegre/RS para processamento. Há de se considerar que, de acordo com as exigências do Ministério da Agricultura, as amostras foram colhidas em bovinos na faixa etária de 6 a 12 meses e que foram vacinados contra a febre aftosa.

Segundo Lúcio Oliveira leite, diretor do Grupo de Defesa Sanitária Animal da CDA, “todo esse procedimento é realizado com base em estudos epidemiológicos e necessário para que se tenha um diagnostico real da atividade viral em rebanhos paulista. Qualquer diagnóstico nesta fase é prematuro, pois o resultado pode ser confundido com reação vacinal”.

O monitoramento é uma das ações estabelecidas no Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa e tem como objetivo comprovar a ausência de atividade viral, condição indispensável para obter o reconhecimento nacional e internacional como Estado livre da febre aftosa.

Assessoria de Imprensa/CDA

Tel.: 19 3241-4700

Teresa Paranhos