Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
03/10/2008

Greening: Esforço conjunto é intensificado em São Paulo.

03/10/2008 - A Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento intensifica as ações de combate ao greening no estado de São Paulo. O greening é uma doença que tem preocupado produtores e representantes do setor produtivo devido a importância econômica da citricultura no Estado.

No esforço desenvolvido pela CDA consta a conscientização dos produtores para que façam as inspeções periódicas, erradiquem as plantas contaminadas e combatam o vetor transmissor da doença. Já estão em atividade 77 novos engenheiros agrônomos que passaram por um treinamento teórico para nivelar os conceitos técnicos e legais e, na parte pratica, foram treinados para a identificação da doença, assim como os procedimentos corretos para colheita e preparo das amostras para analise. Com a parceria do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) vem traçando estratégias de ações de combate ao greening.

Segundo Geysa Josefina Pala Ruiz, responsável pelo projeto Greening da CDA, “o estado de São Paulo tem 195 municípios com diagnóstico positivo do greening. A inspeção periódica do pomar exigida pela defesa agropecuária é uma medida de extrema necessidade pois o greening é uma doença controlada pelo manejo”.

No primeiro semestre deste ano, 65% dos citricultores com propriedades localizadas nos municípios onde já foi constatada oficialmente a presença da doença entregaram os relatórios de vistoria de plantas. É dever do citricultor fazer as inspeções e erradicar as plantas com sintomas da doença e entregar, no prazo de quinze dias, o relatório da inspeção ao Escritório de Defesa Agropecuária (Eda) da região onde está situada a propriedade. Deixar de entregar o relatório implica em multa de 100 unidades fiscais do estado de São Paulo – Ufesps (R$ 14,88 cada unidade). A CDA está autuando os citricultores que deixaram de entregar o relatório, mas a autuação não desobriga a inspeção e a entrega do relatório.

CAMPANHA: Desde o mês de setembro estão sendo realizados semanários e reuniões com citricultores em todas as regionais do Estado visando divulgar a campanha “Greening – Quebra galho não funciona. Para resolver tem que arrancar.” A campanha, realizada pelo governo do estado é executada pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por suas coordenadorias de Defesa Agropecuária e Assistência Técnica Integral (Cati), Centro de Citricultura “Sylvio Moreira”/IAC/Apta e pelo Fundecitrus para conscientizar os citricultores da importância das ações coletivas.

A citricultura paulista tem despertado o interesse de missões técnicas que vêem a São Paulo conhecer o trabalho desenvolvido. Esse ano o Estado recebeu missões da Europa e de Israel. O Fórum Nacional dos Executores de Defesa Agropecuária (Fonesa) com o objetivo de antecipar as providencias para evitar que a doença se alastre, para outros importantes Estados produtores realizou no mês de julho passado, em Campinas, na sede da Defesa Agropecuária, uma reunião técnica com representantes dos órgãos de defesa sanitária vegetal dos Estados de Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás e Rio de Janeiro

O estado de São Paulo é responsável pelo maior parque citrícola do mundo e responde por 40% da produção mundial de laranja; 59% do processamento de suco; gera 400 mil empregos diretos; absorve 10% da mão de obra rural; está presente em 330 municípios, além de ser o maior consumidor mundial de suco in natura.