Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
06/06/2012

Defesa Agropecuária na Feicorte 2012.

06-06-2012 - A Coordenadoria de Defesa Agropecuária juntamente com demais órgãos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado estará na Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Carne – Feicorte 2012, orientando e divulgando informações sobre doenças vesiculares, buscando conscientizar os criadores sobre a importância da imediata comunicação de qualquer suspeita ao serviço veterinário oficial. A proposta desta ação de educação sanitária é aprimorar o sistema de vigilância passiva no Estado, estabelecido no Programa Estadual de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa.

Existem diversas doenças vesiculares que acometem os animais domésticos, sendo a mais importante a febre aftosa. Existem algumas doenças confundíveis com a febre aftosa e a avaliação do médico veterinário do serviço oficial pode descartar a suspeita ou solicitar exame em laboratório para realização de diagnóstico diferencial.

A orientação é que o criador chame o seu veterinário e avise a Defesa Agropecuária se um animal (bovino, bubalino, caprino, ovino ou suíno) de sua propriedade ou propriedade vizinha apresentar algum sinal de doença vesicular. Os sintomas a serem observados são: queda na produção de leite; vesículas na boca, no focinho, nos tetos e entre as unhas, elas se rompem e formam úlceras; febre alta, animais deixam de comer e beber e babam muito por causa das feridas na boca; e alteração no modo de andar, movimentos com os pés como chutar ou bater, causados pela dor.

Segundo informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com base no Sistema Continental de Vigilância Epidemiológica – SivCont, é baixo o número de notificações de doenças vesiculares no país, daí a importância de estimular a participação da comunidade para a notificação de suspeita. A Instrução Normativa nº 44, de outubro de 2007, do Ministério, estabelece a obrigatoriedade de notificação de todos os casos suspeitos de doenças vesiculares ao serviço veterinário oficial, que deverá atendê-los de acordo com os procedimentos especificados.

Assessoria de Imprensa – 19 – 3045-3350 – Teresa Paranhos