Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
18/12/2012

Equipe do EDA Catanduva deflagra fábrica de pururuca e torresmo em Catiguá-SP.

18-12-2012 - Uma fábrica de pururuca e torresmo, em condições irregulares e em franca produção foi descoberta nesta terça-feira (18/12) por uma equipe do Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) de Catanduva-SP. A fábrica funcionava em uma chácara no município de Catiguá-SP. Aproximadamente cem quilos de derivados suínos, que lotaram uma van cedida pela prefeitura municipal, foram apreendidos e destruídos.

Segundo João Gustavo Pereira Loureiro, médico veterinário do EDA, “O local não possuía a mínima condição sanitária para a produção de alimentos seguros e tão pouco atendia a qualquer normativa oficial”. O proprietário foi autuado e instruído dos preceitos básicos sanitários e cadastrais para se registrar uma fábrica de conservas junto ao Serviço de Inspeção Estadual (Sisp). Loureiro faz questão de enfatizar o caráter educativo de ações desta ordem. “Uma vez lavrado o auto de infração, apreendido e destruído o produto clandestino, o médico veterinário do serviço oficial estadual pode e deve instruir o produtor sobre como regularizar sua produção”.

“Ações como esta têm como objetivo principal a segurança da saúde da população, no entanto, é interessante ressaltar que, comprovadamente na região do EDA de Catanduva, benefícios de outra ordem têm sido colhidos por estas ações”, disse Sérgio Correa Filho, diretor técnico do EDA. E acrescentou que “alguns dos estabelecimentos desta regional, hoje regularmente registrados junto ao Sisp, foram outrora pertencentes a produtores já autuados por produzirem produtos de origem animal de forma clandestina”.

A ação deflagratória foi decorrência de investigação conduzida durante dois meses pela equipe da Coordenadoria de Defesa Agropecuária que é o órgão normativo da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo. Também participaram da ação a médica veterinária Rebeca Maria Gonzalez e o agente Paulo Cesar Martucci.

Assessoria de Imprensa/Defesa Agropecuária – 19 – 3045-3340 – Teresa Paranhos