Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
31/07/2012

Greening: Defesa Agropecuária apresenta índice de inspeções no 1º semestre.

31-07-2012 - Terminado o prazo para que os produtores comerciais de citros do estado de São Paulo informassem à Coordenadoria de Defesa Agropecuária sobre as inspeções realizadas e as eliminações de plantas com greening durante o primeiro semestre de 2012, foram apresentados 17.114 relatórios. Deste total, 16.411 relatórios foram entregues dentro do prazo.

De acordo com o relatório, até a presente data, os citricultores informam que foram inspecionadas 234,4 milhões de plantas cítricas. Sendo erradicadas com sintomas do Huanglongbing-greening, 3,2 milhões de plantas e que também foram erradicadas por outras doenças e motivos, 10,6 milhões de planta e replantadas 1,4 milhões de plantas.

As regiões dos Escritórios de Defesa Agropecuária (EDAs) com maior percentagem de plantas eliminadas em função do greening foram: Limeira (4,7%); Ribeirão Preto (3,8%); Jaboticabal (2,4%); São João da Boa Vista (2,2%) e Araraquara (2,1%).

Para Heinz Otto Hellwig, coordenador da Defesa Agropecuária, “o citricultor paulista demonstra que está zelando por seu patrimônio e consciente da importância de mantê-lo com sanidade, eliminando as plantas com sintomas do greening no combate a praga. Os produtores que não atenderam a legislação serão procurados pela Defesa Agropecuária para que não prejudiquem a grande maioria que atendeu a legislação com o objetivo de manter a sanidade do parque citrícola do Estado”.

Euclides de Lima Moraes Filho, diretor do Grupo de Defesa Sanitária Vegetal, lembra que “o citricultor que deixou a atividade precisa regularizar a situação junto ao EDA da região, caso contrário, ele será notificado para prestar contas de não ter relatado ao órgão oficial de defesa agropecuária do Estado”.

Os citricultores que deixaram de relatar as inspeções no semestre serão notificados pela Defesa Agropecuária para que apresentem o relatório e estarão sujeitos às penalidades estabelecidas na legislação. As autuações podem variar de 100 a 500 Ufesps. O valor de cada unidade fiscais do estado de São Paulo é de R$ 18,44. Moraes Filho orienta ainda que o citricultor comece a planejar as inspeções do segundo semestre, facilitando a comprovação.

A exigência da entrega do relatório de inspeções do greening atende à Instrução Normativa n.º 53, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e à Portaria CDA-21, de 15 de dezembro de 2011, da Coordenadoria de Defesa Agropecuária.

A legislação estabelece que o proprietário, arrendatário ou ocupante a qualquer título, deve realizar no mínimo uma inspeção trimestral e relatá-las a cada semestre ao órgão oficial de defesa agropecuária através de relatório. Mesmo que não sejam encontradas plantas com sintomas, o relatório deve ser entregue, pois é de comunicação obrigatória.

Assessoria de Imprensa da Defesa Agropecuária – 19 – 3045-3350 – Teresa Paranhos.