Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
05/09/2012

Mel com rótulo falsificado é apreendido em Serra Negra-SP pela Defesa Agropecuária e Vigilância Sanitária.

05-09-2012 - A ação conjunta, realizada na manhã de sexta-feira (24/08) por uma equipe da Coordenadoria de Defesa Agropecuária e da Vigilância Sanitária, apreendeu 500 quilos de mel clandestino em cinco estabelecimentos em Serra Negra, município que faz parte da região do Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) de Bragança Paulista.

A denúncia feita à ouvidoria da Coordenadoria de Defesa Agropecuária de São Paulo foi sobre mel com rotulagem inadequada que estaria sendo vendido no comércio local. O denunciante suspeitou do rótulo, que apesar de ter o selo do Serviço de Inspeção do Estado de São Paulo (SISP), não possuía o número de registro, entre outras falhas. A ouvidoria, seguindo os trâmites legais, comunicou o Centro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Cipoa), que é responsável pelo registro dos estabelecimentos e produtos no SISP e foram destacados o médico veterinário Cesar D. Krüger, responsável pelo SISP no EDA Bragança Paulista e o técnico Elton Dirceu, para o planejamento de uma ação conjunta com a Vigilância Sanitária.

Segundo Krüger “entramos em contato com a coordenadora da Vigilância Sanitária do município e planejamos a ação conjunta nos pontos de revenda, nos quais a competência é da vigilância”. Foram inspecionadas várias lojas de comércio deste tipo de produto, na principal rua e em ruas adjacentes. Os fiscais constataram diversas irregularidades na rotulagem dos produtos, o que invalida a qualidade e procedência dos mesmos, colocando em risco a saúde dos consumidores que venham a ingerir os produtos.

“É importante que os consumidores não comprem produtos de origem animal, como o caso do mel, sem o selo de inspeção de um órgão municipal, estadual ou federal. Estes produtos com o selo nos rótulos garantem que sofreram um processo de produção adequado e tem garantia de qualidade da matéria-prima. Além do selo, é importante notar outras informações como composição nutricional, dados do produtor, data de fabricação, validade e número do lote”, destacou Krüger. No caso de dúvidas, os consumidores podem entrar em contato com a vigilância sanitária local ou ainda com o serviço de inspeção de produtos de origem animal mais próximo, acrescentou.

Todo o mel apreendido foi inutilizado e os estabelecimentos foram autuados por venda de produto clandestino.

Para entrar em contato com a ouvidoria da Coordenadoria de Defesa Agropecuária basta acessar www.defesaagropecuaria.sp.gov.br e clicar em “ouvidoria”, na página inicial.

Assessoria de Imprensa – 19 – 3045-3350