Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
07/11/2014

II ciclo de palestras sobre manejo e conservação do solo (13/11) em São José do Rio Preto-SP.

O Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) de São José do Rio Preto realiza no dia 13 de novembro de 2014, o segundo ciclo de palestras sobre manejo e conservação do solo, no auditório do DAEE, localizado na Avenida Otávio Pinto César, 1400, Bairro Cidade Nova, São José do Rio Preto, SP, onde serão apresentados e debatidos temas relevantes à conservação do solo e preservação da água em bacias hidrográficas.

Segundo Maria Argentina Nunes de Mattos, engenheira agrônoma e diretora técnica do EDA de São José do Rio Preto, o ciclo de palestras tem o objetivo de “alertar sobre a função das bacias hidrográficas no armazenamento e melhoria da quantidade e da qualidade da água e mostrar que o uso correto e a conservação do solo, podem contribuir para minimizar os efeitos de futuros períodos de estiagem”.

O evento é direcionado a produtores rurais, engenheiros agrônomos e ambientais, estudantes de agronomia e engenharia ambiental e autoridades relacionadas ao tema (prefeitos, diretores de departamentos de água dos municípios, Sabesp). A inscrição é gratuita, mas precisa ser realizada com antecedência pelo email: maria.mattos@cda.sp.gov.br

PROGRAMAÇÃO:

9h00m – Abertura

9h15m – Palestra: Restauração da Bacia Hidrográfica Rio Lençóis - Eng. Agr. MSc. Oswaldo Julio Vischi Filho (Coordenadoria de Defesa Agropecuária).

10h00m - Palestra: Bacia Hidrográfica Água Limpa - Eng. Agr. Maria Argentina Nunes de Mattos (EDA São José do Rio Preto).

10h45m - Palestra: Bacia Hidrográfica Rio do Peixe - Eng. Agr. Jorge Quiessi (EDA Assis), Oscar Kanno (EDA Dracena) e Liatar Corsato (EDA Marília).

11h30m - Programa Vida ao Marinheirinho – Ações de proteção ao recurso hídrico no município de Votuporanga/SP - Bióloga Tatiane Gisele Alves (SAEV).

13h30m - Monitoramento dos Recursos Hídricos na Microbacia do Córrego da Olaria - Bióloga MSc. Maria Conceição Lopes (APTA Pindorama).

14h15 - Palestra sobre Cadastro Ambiental Rural – CAR - Eng. Agr. Guilherme Martins Souza Leite (EDA Ribeirão Preto).

15h30m - Utilização das geotecnologias na gestão dos recursos hídricos na região de influência do Complexo Hidrelétrico de Urubupungá - Prof. Hélio Ricardo Silva (UNESP Ilha Solteira).

16h30m – encerramento.

SERVIÇO:

II Ciclo de palestras sobre manejo e conservação do solo.

Dia 13 de novembro de 2014

Horário: das 8h às 17h15m

Local: Auditório do DAEE, Av. Otávio Pinto César, 1400, Bairro Cidade Nova, São José do Rio Preto, SP.

CONTATO para imprensa:

Informações sobre o evento, direto no EDA de São José do Rio Preto pelo telefone 17 - 3225-1764.

Assessoria de Imprensa |Defesa Agropecuária | 19 – 3045-3350 | Teresa Paranhos

INFORMAÇÕES ADICIONAIS - Tendo em vista a escassez hídrica na região Sudeste, alternativas precisam ser avaliadas para resolver ou minimizar os efeitos dessa estiagem e de outras que poderão ocorrer. O uso correto e a conservação do solo agrícola são fundamentais no sentido de melhorar e aumentar a quantidade das águas nas bacias hidrográficas, como já comprovado pela pesquisa oficial do estado de São Paulo (Lombardi Netto; Bertoni). A Coordenadoria de Defesa Agropecuária, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, há mais de 13 anos vem executando trabalhos de fiscalização do uso e conservação do solo que tem como objetivo preservar o solo com a sua conservação e por consequência a melhoria da quantidade e da qualidade da água armazenada na bacia hidrográfica, que constitui uma grande “caixa d’água” com capacidade de armazenamento infinitamente superior aos reservatórios existentes no Estado. Vários exemplos de bacias hidrográficas (BH) trabalhadas pela Defesa Agropecuária podem ser citados: BH Rio Lençóis (Agudos, Borebi e Lençóis Paulista); BH Córrego do Lapi (Piratininga); BH Rio Cuiabá (Teodoro Sampaio); BH Água Limpa (Neves Paulista e Monte Aprazível); BH Córregos das Antas (Tupi Paulista); BH Córrego Fundo (Monte Alto); BH Ribeirão Bonito (Torrinha e Santa Maria da Serra); BH Ribeirão da Prata (Lençóis Paulista); BH Rio do Peixe ( Vera Cruz, Ocauçu e Marília); BH Córrego Formadão (Pindorama), etc. Os trabalhos já concretizados poderão servir como exemplo para recuperar as bacias hidrográficas nos municípios e colaborar para a melhoria das águas dando maior conforto, saúde e longevidade aos consumidores desse importante recurso natural.