Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
27/05/2015

Governador Alckmin autoriza ações preventivas contra a Influenza aviária

Altamente contagioso, o vírus pode ser difundida rapidamente pelo Brasil, atingir o homem e outros animais

O governador Geraldo Alckmin assina nesta quarta-feira, 27, às 15h, no Palácio dos Bandeirantes, o decreto para que a Secretaria de Agricultura e Abastecimento e seus órgãos possam intensificar a adoção de medidas preventivas, com o objetivo de evitar a chegada da Influenza Aviária ao Estado de São Paulo.

A secretaria, por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) e do Instituto Biológico, tem desenvolvido trabalhos nesse sentido, há vários anos, mas o surto que está ocorrendo nos Estados Unidos exige uma intensificação no trabalho, pelo risco de importação da doença por meio das aves migratórias ou pelo trânsito de passageiros em portos e aeroportos.

A influenza aviária é causada pelo vírus H5N2, altamente contagioso, e pode ser difundida rapidamente pelo país e atingir o homem e outros animais. Aves silvestres, patos e marrecos em sua maioria não adoecem, mas disseminam o vírus, que também pode ser transmitido por meio de objetos contaminados como sapatos, roupas, rações e pela água.

O trabalho se torna ainda mais importante em função da avicultura (corte e postura) ser a terceira atividade do agronegócio paulista, somente atrás da cana de açúcar e carne bovina. Nos Estados Unidos, mais de 40 milhões de aves já foram atingidas pela doença, causando elevação no preço dos ovos (triplicou) e da carne de frango.

Por meio do decreto, fica instituído, junto ao Gabinete do Secretário de Agricultura e Abastecimento, o Comitê que visa planejar, integrar e estabelecer as medidas preventivas, de controle e de erradicação para a avicultura industrial e para o segmento que envolve as aves silvestres cativas, migratórias, autóctones e de criações informais visando a prevenção da introdução e difusão do agente etiológico da Influenza Aviária no plantel avícola do Estado de São Paulo e a adequada abordagem dos problemas relacionados à influenza aviária na saúde humana.

Esse comitê será composto pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, que exercerá a coordenação dos trabalhos; Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, por meio do Instituto Biológico; a Secretaria da Saúde, por seu Centro de Vigilância Epidemiológica; Secretaria do Meio Ambiente; Fundação Parque Zoológico de São Paulo; e Secretaria de Segurança Pública, através da Polícia Militar Ambiental.

Poderão ser envolvidos nas discussões o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA, por seu Serviço de Saúde Animal da Superintendência Federal de Agricultura SSA-SFA; e o Laboratório Nacional Agropecuário – LANAGRO; a Associação Paulista de Avicultura – APA; a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo – FAESP, por meio do Sindicato Rural de Bastos – SRB; a Associação Brasileira de Proteína Animal - ABPA; o Comitê Estadual de Sanidade Avícola – COESA; e o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo – CRMVSP.

A Secretaria de Agricultura tem realizado seminários sobre o assunto, envolvendo o setor produtivo. O secretário Arnaldo Jardim ressaltou os importantes passos dados pela avicultura como desenvolvimento de tecnologia, procedimentos sanitários para constituir um setor mais competitivo no ponto de vista internacional, com referências importantes na área de genética.

Também deu destaque ao compromisso e os deveres assumidos pelo poder público para criar condições de apoio para tornar a avicultura mais competitiva no ponto de vista de renda e geração de emprego. “Primeiro identificamos aquilo que surgia nos EUA, reunimos todos os órgãos buscando nos antecipar, para criar condições de contenção da disseminação”, ressaltou o secretário Arnaldo Jardim.

Guia de Trânsito Animal

Durante o evento, o governador também fará o lançamento, em conjunto com o secretário Arnaldo Jardim, da Guia de Trânsito Animal (GTA) para aves e não mais será emitida em formulário manual no Estado de São Paulo. Agora, os animais só poderão circular acompanhados da guia de trânsito animal (e-GTA), emitida por meio do sistema informatizado Gedave da Secretaria de Agricultura. Estão inclusos nessa exigência aves vivas, ovos férteis, aves ornamentais e aves canoras. O objetivo principal é a rastreabilidade das aves e o controle sanitário.

Mais informações para Imprensa

Assessoria de Comunicação | Secretaria de Agricultura e Abastecimento | Paulo Toledo ou Eli dos Santos | (11) 5067-0069