Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
03/11/2016

Campanha de vacinação contra febre aftosa é lançada em Presidente Prudente

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, lançou no dia 1 de novembro, a segunda fase da campanha paulista de vacinação contra a febre aftosa. O evento foi realizado no município de Presidente Prudente, escolhido por sua representação da bovinocultura de corte e de leite e reuniu criadores, representantes do setor e autoridades.

Esta é a segunda etapa da campanha de vacinação. A primeira etapa foi realizada durante o mês de maio, com a vacinação de bovídeos de zero a 24 meses e atingiu o índice de vacinação de 99,46%. Agora na segunda etapa, que será realizada durante todo o mês de novembro, devem ser vacinados todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) do rebanho, inclusive os vacinados durante a primeira etapa. O rebanho estimado é de 10,6 milhões de cabeças.

O secretário afirmou ter certeza de que novamente o Estado de São Paulo terá a resposta do produtor e a participação das entidades para repetir esse índice, selando assim os 20 anos sem incidência de febre aftosa em território paulista. E lembrou que num passado recente tivemos problemas porque Estados vizinhos, como o Paraná e o Mato Grosso do Sul, tiveram uma incidência da doença - o que fez com que São Paulo mantivesse todo este cuidado sanitário.

“Ao mesmo tempo em que estamos fazendo a campanha e pedindo muito o apoio de todos para que ela possa ser bem-sucedida, Fernando Buchala, coordenador da Defesa Agropecuária, vem discutido com autoridades de outros Estados e países vizinhos sobre uma forma de nós podermos, no futuro, deixarmos de fazer duas vacinações ao ano”, disse o secretário.

Para o titular da Pasta, esta decisão deve ser cuidadosa, pois é necessário que os cuidados sanitários, como os adotados no Estado, sejam tomados também nos outros Estados - e que os países vizinhos de onde temos trazido gado, como a Bolívia e o Paraguai, tenham cuidados sanitários semelhantes. “Nós não podemos só fazer a lição de casa se estivermos permeáveis à vinda de um fator externo. Essa compatibilidade é que vai nos permitir aliviar, em médio prazo, a vacina”, disse.

A vacinação

A campanha vai do dia 1 a 30 de novembro. O criador deve ater-se a alguns cuidados importantes na hora de vacinar, como realizar a vacinação no período mais fresco do dia, manter sempre a vacina numa temperatura adequada, de 2 a 8 graus, para que ela não congele e nem fique a uma temperatura elevada que possa levar a uma perda de eficácia, e ter rigor com limpeza e higiene das seringas e agulhas.

Buchala lembrou que na primeira etapa da campanha o índice de vacinação foi da ordem de 99,46% e que o esperado é atingir e superar esse número na segunda fase. “O produtor que deixar de vacinar dentro do período tem a propriedade interditada para comercialização tanto dos animais com dos produtos, como exemplo o leite. Recebe uma notificação para que se faça a vacinação compulsória dos seus animais com acompanhamento do serviço oficial de defesa e recebe um auto de infração da ordem de 5 Ufesps (R$ 117,75) por animal não vacinado dentro do prazo”, explicou. O criador tem até o dia 7 de dezembro para declarar a vacinação realizada.

O Estado de São Paulo está sem registro da febre aftosa há mais de 20 anos, mas o Governo do Estado e o setor produtivo têm um compromisso com os parceiros comerciais para manter esta doença erradicada dos planteis, mas para isso é preciso trabalhar com elevados índices de vacinação. Fernando Buchala lembrou ainda que “a cadeia produtiva conta com o sistema informatizado Gedave, onde todas as declarações de rebanho e de vacinação e a emissão da documentação zoosanitária, que são as guias de trânsito animal (GTAs), podem ser feitas no sistema online, pelo usuário externo, sem ter que dirigir a uma unidade oficial de defesa”.

Na Fazenda Pagador, do pecuarista Fábio Buchalla, o lançamento da campanha marcou também o início da vacinação. “Para nós é muito importante o primeiro dia da campanha estar sendo aqui, pelo fato de esta ser uma fazenda de melhoramento genético de bovinos da raça nelore e ser uma vitrine do criatório de nelore com 60 anos de dedicação à pecuária”, disse o pecuarista.

Recinto de Exposição

Questionado sobre o destino do Recinto de Exposições “Jacob Tosello”, próprio da Secretaria, com permissão de uso à Prefeitura de Presidente Prudente, Jardim disse que o prefeito eleito Nelson Bugalho procurou a Secretaria com a proposta de que ali se possa sediar outras atividades de fomento ou formação de recursos humanos, ou encontros técnicos voltados à produção agropecuária. “Nós vemos com muito entusiasmo e já estamos estudando a modificação do convênio para que ele possa possibilitar essas atividades integradas em processo de desenvolvimento do setor da agropecuária”, disse o secretário.

Estiveram presentes no evento Rubens Rizek Jr., secretário-adjunto da Secretaria; Ed Thomas, deputado estadual; Marco Rocha, prefeito de Regente Feijó; Enio Magro, prefeito de Narandiba; Nelson Bugalho, prefeito eleito de Presidente Prudente; e Mauro Bragato.

Por Teresa Paranhos

Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária

Assessoria Imprensa

Telefone: (19) 3045.3350