Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
02/09/2016

Secretaria promove conferência de atualização de médicos veterinários habilitados

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio de sua Coordenadoria de Defesa Agropecuária, iniciou nesta semana o ciclo de treinamento da 1ª Conferência Anual de Médicos Veterinários Habilitados para emitir Guia de Trânsito Animal (GTA) no Estado de São Paulo. O primeiro ciclo reuniu no auditório do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), na Capital, 54 dos 132 médicos veterinários habilitados para emissão da Guia para aves e ovos férteis.

O objetivo é “atualizá-los com relação aos novos procedimentose questões legais, tanto na parte defesa sanitária animal quanto das legislações, para que os documentos e as informações reportadas por meio do relatório à Defesa Agropecuária e ao Ministério sejam feitos em conformidade com as legislações vigentes”, disse o médico veterinário da Secretaria, Jesualdo Gonçalves Filho, do Programa de Habilitação de Médicos Veterinários Privados, da Defesa Agropecuária.

A escolha de reunir os profissionais no CRMV, explicou Fernando Gomes Buchala, coordenador da Defesa Agropecuária, “foi a oportunidade de fazer um trabalho integrado entre a Defesa, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Associação Paulista de Avicultura (APA) e o CRMV, que estão intrinsecamente relacionados com a responsabilidade técnica, com os contratos e com as questões sanitárias dos plantéis”.

Sobre a participação dos médicos veterinários habilitados envolvidos com a avicultura no trabalho relacionado com a defesa agropecuária, Buchala lembrou que em todos os tratados de vigilância epidemiológica a ampliação da capacidade de vigilância se faz pela rede de veterinários habilitados responsáveis técnicos (RTs). “Nós temos um programa de habilitação vigoroso e sustentado, pois passamos por auditorias internacionais e internas. Apensar de terem seus honorários pagos pela iniciativa privada, toda a atuação funcional está regrada pela Defesa Agropecuária”, disse Buchala.

Falando na abertura do evento, Érico Pozzer, presidente da APA, lembrou que São Paulo é um Estado que tem uma avicultura bastante diversificada, berço da genética nacional e ao mesmo tempo o maior produtor de ovos comerciais, mas é o setor mais fragilizado com relação à questão sanitária, pela própria localização, pelos aeroportos e portos mais movimentados do País.

Esta movimentação pode carrear para dentro da granja algum tipo de doença. “Todas as medidas de biosseguridade que são de responsabilidade dos RTs acompanhar e aprimorar farão com que continuemos com o status sanitário que temos até hoje”, enfatizou.

A mensagem da Associação foi de otimismo:“tanto a parte de legislação quanto a parte de controle estão evoluindo. A associação vai fazer o possível e o impossível para estar sempre estimulando os nossos técnicos a fazer a parte deles, que é assegurar a saúde dos planteis do Estado de São Paulo”, disse Pozzer.

O evento será realizado em outras duas regiões do Estado: em Araçatuba, de 4 a 7 de outubro, no Recinto de Exposições Clibas de Almeida Prado; e em Ribeirão Preto, de 8 a 11 de novembro, no Escritório de Defesa Agropecuária (EDA).

Habilitação

O Estado de São Paulo conta hoje com um total de 458 médicos veterinários habilitados, sendo que 132 são para a emissão de GTA para aves e ovos férteis; 181 para animais egressos de eventos de concentração de animais; 118 para equídeos e 27 para suídeos, laboratório, animais aquáticos e aves silvestres.

A habilitação é concedida para as unidades administrativas onde seja insuficiente ou não existam médicos veterinários ou funcionários autorizados dos órgãos oficiais de defesa para emissão de Guia após realização de curso/treinamento especifico promovido pelo Mapa em conjunto com a Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo.

Os médicos veterinários habilitados só poderão emitir GTA nos municípios e para as espécies especificados em Portaria expedida pela Superintendência Federal de Agricultura (SFA). A emissão do documento fica condicionada à assistência veterinária aos rebanhos de onde se originam os animais, aos registros do estabelecimento de procedência e o cumprimento das exigências de ordem sanitária estabelecidas para cada espécie.

A habilitação de novos profissionais médicos veterinários para o Estado de São Paulo deverá ocorrer no primeiro semestre de 2017.

Por Teresa Paranhos

Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária

Telefone: (19) 3045.3350