Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
19/08/2016

Secretaria promove debates com o setor canavieiro sobre a conservação do solo e o controle da mosca-dos-estábulos, em Ribeirão Preto

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo anunciou, no dia 18 de agosto de 2016, a criação de um grupo de trabalho composto por técnicos de extensão rural, defesa agropecuária e institutos de pesquisa da Pasta que realizará estudos e projetos para intensificar o controle da mosca-dos-estábulos nas propriedades rurais paulistas. O inseto, que se alimenta do sangue dos animais, é responsável pela transmissão de doenças ao rebanho e tem se tornado mais frequente em locais onde há acúmulo da vinhaça da cana-de-açúcar, causando prejuízos na criação do gado de corte e leite.

O novo grupo, instituído pela Resolução SAA nº 53, foi anunciado aos técnicos das Coordenadorias de Assistência Técnica Integral (Cati) e de Defesa Agropecuária ligados à Pasta, bem como produtores rurais, representantes de usinas e entidades privadas e poder público municipal que acompanharam a primeira reunião técnica sobre o tema, realizada no Centro de Cana do Instituto Agronômico (IAC), em Ribeirão Preto. Além da Defesa e da Cati, especialistas da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) e do Instituto Biológico integram o grupo.

O grupo de trabalho terá como objetivo dar sequência aos primeiros estudos realizados pela Secretaria e propor convênios, termos de cooperação técnica e parcerias com outros órgãos e instituições, públicas e privadas, para implementação das medidas previstas Também será responsável por desenvolver ações de capacitação e difusão de conhecimento e tecnologias junto a entidades públicas, privadas e produtores rurais na busca de soluções eficazes para o controle da mosca-dos-estábulos.

De acordo com o diretor técnico do Escritório de Desenvolvimento Rural (EDR) de General Salgado, Sidney Ezídio Martins, que apresentou uma palestra sobre o tema, a integração entre as usinas e os produtores rurais é fundamental para solucionar o problema. “As usinas precisam se conscientizar sobre o manejo da palha e da vinhaça e os produtores devem evitar condições para a proliferação e o desenvolvimento da mosca”, disse.

O secretário Arnaldo Jardim ressaltou a importância de promover o debate e transmitir as orientações a todos os elos da cadeia. “As palavras de ordem são a parceria e a antecipação para propor soluções e resolver os desafios enfrentados pelo produtor rural. Hoje estamos disseminando o que a Secretaria tem feito a respeito e as recomendações para solucionar tais questões, afirmou, ressaltando que a aproximação da pesquisa e do setor produtivo é uma das diretrizes determinadas pelo governador Geraldo Alckmin à Pasta.

“Atualmente o setor pecuário tem sido penalizado com a incidência de três agentes que afetam o rebanho, que são o carrapato, a mosca-dos-chifres e a mosca-dos-estábulos, que podem representar prejuízos de cerca de R$ 7 bilhões aos produtores\", disse Arnaldo Jardim.

Conservação do solo

O encontro debateu também as práticas para promover a conservação do solo e uso da água na cultura canavieira, trabalho da Pasta Estadual que originou um Boletim Técnico com recomendações e deverá ser atualizado com o auxílio do segmento produtivo paulista.

Para a pesquisadora científica do IAC, Isabela Clereci de Maria, os primeiros estudos realizados reforçaram a ideia de que é importante buscar a integração das práticas. “Assim, poderemos atuar em três estratégias básicas, que são o aumento da cobertura de solo e da infiltração da água, além do controle do escoamento. Estamos promovendo os debates, para chegar a uma recomendação que atenda a todas as especificidades de cada área”, explicou, ressaltando que as manifestações recebidas por técnicos de todo o Estado irão contribuir para aperfeiçoar as informações sobre o tema.

Integração da cadeia produtiva

O encontro reuniu centenas de pessoas no auditório do Centro de Cana reforçou a disposição de todos os envolvidos em adotar medidas sustentáveis de produção agropecuária.

O produtor de cana-de-açúcar Álvaro Tadeu Arantes Nogueira, de Cravinhos, busca tomar todos os cuidados para evitar o acúmulo da vinhaça em seu canavial e a incidência da mosca-dos-estábulos, mas, mesmo assim, faz questão de participar dos debates e saber das novidades sobre o tema. “É muito importante estar informado, ouvir a experiência dos colegas e técnicos para evitar que este problema continue”, avaliou.

Para a responsável pelo suporte técnico de plantio da Usina São Martinho, Mirela Garcia, o encontro é uma oportunidade de atualização sobre as normas que regulamentam a conservação do solo. “Nós já seguimos a legislação para promover a conservação do solo e o uso da água, mas essa reunião é bem proveitosa, por ser uma chance de nos atualizarmos. Da mesma forma, também buscamos nos informar sobre o controle da mosca-dos-estábulos, já que temos a nossa Central de Misturas, onde é feito o composto”, explicou.

Já o técnico de desenvolvimento agrário da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), Gilberto Garcia Nogueira, considera fundamental discutir meios de conservação do solo, garantindo a viabilidade da utilização da mesma área por muitos anos. “No Estado de São Paulo, com todas as recentes restrições relacionadas à queima da cana, as áreas de plantio foram reduzidas. Por isso, é importante incentivar o plantio baseado na sustentação, não só na cana-de-açúcar, mas em outras culturas”, ressaltou.

Para o titular da Coordenadoria de Defesa Agropecuária da Secretaria, Fernando Gomes Buchala, a reunião sinalizou a integração entre todos os componentes da cadeia. “Foi um encontro extremamente produtivo, para a busca de soluções que envolvem não só a saúde animal e vegetal, mas possibilitam um novo conceito de saúde ambiental”, afirmou, destacando a grande mobilização dos Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDR) e de Defesa Agropecuária (EDA), para incluir produtores, representantes da cadeia e poder público nos debates.

Para o responsável pela Assessoria Técnica da Pasta, José Luiz Fontes, o objetivo do encontro foi cumprido. “Pudemos divulgar o tema, fazer com que o público de interesse do assunto participasse de forma representativa. A discussão trata de um trabalho que ainda está em execução pela Secretaria e sempre será necessário agregar coisas novas para que o assunto seja cada vez melhor tratado”, disse.

Para o diretor do Centro de Cana do IAC, Marcos Landell \"o encontro foi uma oportunidade para reunir produtores e técnicos e promover um importante debate sobre questões atuais do setor\".

As próximas reuniões técnicas sobre os temas estão programadas para os dias 24 de agosto, em Piracicaba, e 2 e 15 de setembro em Lençóis Paulista e Ourinhos, respectivamente.

O evento contou com a presença dos prefeitos de Santa Cruz da Esperança, Dimar de Brito, e de Jardinópolis, José Antonio Jacomini; de Osmar Ferreira da Silva, representando o prefeito de Jeriquara, Sebastião Henrique Dal Piccolo; dos vereadores de Descalvado, Luiz Carlos Vick Francisco, e de Itirapuã, Edigar do Carmo Alves; do chefe do setor de Meio Ambiente da Prefeitura de Brodowski, Amauri Ribeiro; do diretor de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura de Tabatinga, Mauro Péricles Beneli e do presidente do Conselho de Desenvolvimento Agrícola de Santa Rita do Passa Quatro, Almir Luis Ferronato.

Também participaram os presidentes dos Sindicatos Rurais de Jardinópolis, Genésio Abadio de Paula e Silva; de Araraquara, João Henrique Freitas; de Ibitinga, Valdecir Vasconcelos; de Batatais, Rodrigo Benedine; de Ribeirão Preto, Joaquim Augusto Souza; de Santa Rita do Passa Quatro, Claudio Lopes do Prado Junior; bem como o diretor da Cooperativa dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado (Copercana), Pedro Bighetti, e o gestor da Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil (Orplana), Celso Albano de Carvalho.

Por Paloma Minke

Assessoria de Comunicação - Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo