Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
17/08/2017

Pesquisadores do Reino Unido realizam a primeira missão ao Estado de São Paulo

O coordenador da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, Fernando Gomes Buchala e o médico veterinário Celso Alberto Gonçalves receberam no dia 2 de agosto pesquisadores do Reino Unido que atuam na pesquisa com epidemiologia, imunologia e filogenia de vírus envolvendo aves e morcegos, interessados em conhecer as ações que são desenvolvidas no estado de São Paulo pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

A missão era formada pelos médicos veterinários e pesquisadores Denise Marston, do Animal and Plant Health Agency (APHA), Muhammad Munir, do Pirlbright Institute e Dan Horton, da Universidade de Surrey e realizada através do convênio entre Brasil e Inglaterra (Capes e Newton Fundation), com o objetivo de fomentar as pesquisas focadas em buscar agentes virais em aves silvestres migratórias e morcegos com potencial patogênico para aves comerciais e zoonoses.

No município de Iguape, região do Vale do Ribeira o médico veterinário da Secretaria, Claudio Alvarenga de Melo, que junto à Defesa Agropecuária responde pela direção técnica do Escritório de Defesa Agropecuária de Registro acompanhou os pesquisadores para conhecer e acompanhar o trabalho de monitoramento das aves migratórias e colheita de amostras de aves de subsistência para diagnóstico, na prevenção da introdução e disseminação do vírus da Influenza Aviária. “O diagnóstico é importante porque as galinhas de fundo de quintal eventualmente convivem com aves migratórias, havendo possibilidade de transmissão com potencial zoonótico. Nesta cadeia, elas podem ser consideradas aves sentinelas”, disse Buchala, destacando que a Secretaria vem buscando métodos de diagnóstico rápidos e eficazes para a vigilância da Influência Aviária.

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária mantém como atividade de rotina, o monitoramento do sítio de aves migratórias de Cananéia-Ilha Comprida-Iguape, uma área de interesse epidemiológico que recebe aves vindas do Hemisfério Norte, como parte dos trabalhos do Plano Paulista de Prevenção da Influenza Aviária. As aves migratórias podem entrar em território paulista portando o vírus da Influenza Aviária, podendo transmiti-lo para as aves de fundo de quintal ou para granjas. Além do sítio migratório, o parque zoológico de São Paulo e o parque ecológico do Rio Tietê recebem atenção epidemiológica da Defesa Agropecuária.

Pesquisa

Os pesquisadores iniciaram a visita conhecendo as atividades de pesquisa do laboratório de Virologia, Instituto de Biologia da Universidade de Campinas (Unicamp). A professora Clarice Weis Arns destacou que o objetivo do convênio “é financiar mobilidade entre pesquisadores de ambos os países para fomentar pesquisas em vírus envolvendo aves migratórias e morcegos, além de intensificar a cooperação científica entre as universidades paulistas (Usp e Unicamp) e pesquisadores do Reino Unido”.

Junto à Universidade de São Paulo (Usp), a missão visitou ainda as instalações do Laboratório de Virologia liderada pelo professor Edison Luiz Durigon (ICB-Usp) onde foi realizada uma apresentação dos resultados de pesquisa focando o vírus da influenza e coronavírus em aves migratórias e morcegos. O laboratório, de segurança de nível 3 (NB-3) foi objeto de discussão e possibilidades de atuar com patógenos virais como vírus da Influenza e vírus do Oeste do Nilo, entre outros. Ainda na Usp foi visitado o Laboratório de Biologia Molecular Aplicada e Sorologia, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, ocasião em que se pautou junto ao professor Paulo Eduardo Brandão as implicações dos coronavírus, epidemiologia e as zoonoses relacionadas as aves migratórias e morcegos.

Quarentenária

Os pesquisadores tiveram a oportunidade de visitar as instalações da Estação Quarentenária de Cananéia (EQC), órgão subordinado à Superintendência Federal de Agricultura no estado de São Paulo, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) cuja missão é a proteção e preservação do patrimônio pecuário brasileiro. As especialidades da EQC foram apresentadas pelo coordenador chefe do quarentenário, Mateus Carvalho Silva Araújo, pela responsável pela quarentena dos suínos, Hellen Martins da Quinta Simões e pelo responsável pela quarentena das aves, Newton Tércio Netto.

A missão permaneceu no País de 1º a 04 de agosto, quando retornou ao país de origem.

Por Teresa Paranhos

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento

19 – 3045.3447