Facebook Twitter Youtube Flickr
14/02/2019

Gestão de qualidade do serviço veterinário para melhor atender o produtor rural

Os médicos veterinários, responsáveis técnicos pelos programas estaduais de sanidade animal da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo estiveram reunidos de 4 a 8 de fevereiro, em Campinas, para alinhar o novo modelo de gestão da qualidade do serviço oficial veterinário. Este programa vem ao encontro à nova gestão do governo do Estado, que é a eficiência do serviço público para atender as demandas da sociedade.

O modelo do sistema de gestão de qualidade tem como objetivo atender os requisitos dos interessados nas atividades executadas no Estado pela Secretaria, por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, para melhor atender o produtor rural. É preconizado pela Instrução Normativa IN 27, de 2017, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para os serviços veterinários oficiais em todos os estados da federação.

Os 25 médicos veterinários trabalharam em grupo para realizar o diagnóstico dos programas que são executados, prevendo a revisão de legislação, construção de procedimentos operacionais padrão (POPs), padronização e revisão do conteúdo do site e intranet, dentre outros.

No atendimento às ações de defesa sanitária animal a agilidade e a eficiência no atendimento são fundamentais para que o resultado seja alcançado com eficácia. É importante que o serviço seja realizado da mesma maneira em todas as regiões do Estado. “A padronização e o treinamento dos servidores irá estabelecer maior agilidade no atendimento das demandas, sejam elas uma doença de interesse de saúde pública ou econômico, antecipando os resultados para um eventual foco ou doença e com redução de custo operacional”, disse Luciano Lagatta, médico veterinário da Secretaria, que junto à Coordenadoria responde pelo Centro de Defesa Sanitária Animal (Cedesa).

Os procedimentos adotados por um Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) tem que ser padronizado em um documento único a ser utilizado pelas 40 regionais. “a padronização dos procedimentos, trará maior agilidade no atendimento para garantir o cumprimento da legislação vigente (atendendo os requisitos legais) e com isso melhorar o desempenho da instituição e o clima organizacional”, disse Zaira Clemente, médica veterinária do Cedesa, responsável pelo desenvolvimento e implantação do programa de gestão de qualidade da Coordenadoria.

O próximo passo será a divulgação dos procedimentos e dos documentos padronizados e o treinamento dos servidores.

Por Teresa Paranhos