Facebook Twitter Youtube Flickr
14/11/2019

Secretaria de Agricultura fortalece as ações de controle da raiva dos herbívoros no Estado

O estado de São Paulo contabilizou até 10 de novembro deste ano 181 casos positivos de raiva em herbívoros (bovinos, bubalinos, equídeos, caprinos e ovinos), transmitida pelo morcego hematófago (que se alimenta de sangue).

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por sua Coordenadoria de Defesa Agropecuária é a executora do Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros (PECRH) e com sua equipe de médicos veterinários e técnicos agrícolas realiza o controle dos morcegos hematófagos da espécie Desmodus rotundus na zona rural e orienta o produtor sobre os riscos no manuseio com o animal que foi atacado pelo morcego.

Dados da Coordenadoria mostram que nos últimos cinco anos foram confirmados no Estado 846 casos positivos, tendo sido realizadas 18.783 fiscalizações em abrigos artificiais (pontes, tubulações de rodovia, bueiros, casas e poços abandonados) e 2.540 fiscalizações em abrigos naturais (tocas, grutas, túneis, minas e ocos de árvores), totalizando 4.799 capturas e 37.772 Desmodus rotundus foram capturados tratados com pasta vampiricidas e devolvidos à natureza.

Estes dados foram apresentados pelo médico veterinário Guilherme Shin Iwamoto Haga, responsável pelo PECRH no XII Seminário de Vigilância e Controle da Raiva, realizado pela Secretaria de Estado da Saúde e Instituto Pasteur, de 5 a 7 de novembro, no município de Águas de Lindoia – SP com o objetivo de promover a atualização técnica e científica dos profissionais que atuam na área de vigilância e controle da raiva tanto animal como humana em todo o estado de São Paulo.

Além dos profissionais da Defesa Agropecuária vinculados à atividade em diferentes regiões do Estado, o evento reuniu profissionais e estudantes das áreas de saúde (Internacionais, federais, estaduais e municipais), meio ambiente, agricultura, vinculados à órgãos públicos, fundações e instituições de ensino e pesquisa, que atuam na área de vigilância e controle da raiva.

A Secretaria tem como desafio para 2020/2021 reforçar as ações em educação sanitária visando atingir diferentes públicos e ampliar os trabalhos em conjunto com outros órgãos governamentais; realizar estudos para otimizar as ações das equipes de controle de raiva de herbívoros; treinar e capacitar as equipes com o intuito de aumentar a difusão de conhecimento e formação de novas equipes.

Controle da raiva dos herbívoros

Nas regiões com casos de mordeduras ou mesmo positivos para raiva são realizadas inspeções dos abrigos existentes e já cadastrados e, com o auxilio dos produtores rurais é realizada a inspeção de outros locais indicados, com o objetivo de reduzir o número desses morcegos, evitando-se o ataque aos animais.

Sempre que há um diagnóstico positivo para raiva animal, uma equipe de controle é mobilizada para realizar a inspeção no local do foco e do perifoco (região delimitada de 10 quilômetros da ocorrência).

Ao notar a ocorrência de ataque de morcegos nos animais do rebanho, o criador deve passar a pasta vampiricida ao redor da mordedura como indicado pelo fabricante, vacinar todos os animais do rebanho e informar a Defesa Agropecuária.

Na próxima semana, equipes de controle da raiva estarão nas regiões de Sorocaba, Pindamonhangaba, Ribeirão Preto, Araçatuba e Bauru.

Por Teresa Paranhos