Facebook Twitter Youtube Flickr
24/08/2020

99,03% dos bovídeos são vacinados na primeira etapa da campanha contra a febre aftosa em São Paulo

O Estado de São Paulo registra 99,03% do rebanho bovídeo vacinado contra a febre aftosa, na primeira etapa da campanha de vacinação de 2020, realizada excepcionalmente durante os meses de maio e junho pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Nesta etapa são vacinados todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) independentes da idade.

Dados do sistema informatizado Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave), gerenciado pela Coordenadoria de Defesa Agropecuária, mostram que dos 10.515.430 bovídeos envolvido na etapa, 10.413.600 foram vacinados. Estão cadastradas no sistema 122.486 propriedades com bovídeos.

“Apesar de a vacinação ter ficado abaixo do índice de maio de 2019 - que foi recorde com 99,51% dos bovídeos vacinados - o índice de vacinação no Estado vem se mantendo estável, acima de 99%”, disse o médico veterinário Adriano Macedo Debiazzi, que junto à Coordenadoria responde pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Febre Aftosa.

Este ano, excepcionalmente, em função da Covid-19, a Secretaria prorrogou para o dia 31 de julho de 2020 o prazo para entrega da declaração da vacinação da etapa maio contra a febre aftosa proporcionando mais tempo para que o criador pudesse se adequar para a entrega da declaração e ficar em dia com a legislação sanitária.

Durante a campanha, os técnicos da Defesa Agropecuária fiscalizaram e assistiram a vacinação em 65 propriedades, acompanhando a vacinação de 6.040 bovídeos.

Deixar de vacinar e de comunicar a vacinação sujeita o criador a multas de 5 Ufesps (138,05 reais) por cabeça por deixar de vacinar, e 3 Ufesps (82,83 reais) por cabeça por deixar de comunicar. O valor de cada Ufesp - Unidade Fiscal do Estado de São Paulo é 27,61 reais.

Na relação abaixo estão na sequencia: o número de bovídeos cadastrados, o número de animais vacinados e o percentual de animais vacinados em cada uma das 40 regionais de Defesa Agropecuária do estado de São Paulo.

EDA de Andradina - 440.749 - 440.086 - 99,85%

EDA de Araçatuba - 359.195 - 359.195 - 100,00%

EDA de Araraquara - 130.237 - 130.188 - 99,96%

EDA de Assis - 204.271 - 201.226 - 98,51%

EDA de Avaré - 229.050 - 228.287 - 99,67%

EDA de Barretos - 148.860 - 144.820 - 97,29%

EDA de Bauru - 359.521 - 348.121 - 96,83%

EDA de Botucatu - 299.334 - 291.079 - 97,24%

EDA de Bragança Paulista - 236.132 - 226.027 - 95,72%

EDA de Campinas - 110.712 - 106.044 - 95,78%

EDA de Catanduva - 126.971 - 126.812 - 99,87%

EDA de Dracena - 325.868 - 325.444 - 99,87%

EDA de Fernandópolis - 239.353 - 239.281 - 99,97%

EDA de Franca - 180.730 - 169.133 - 93,58%

EDA de General Salgado - 492.022 - 491.504 - 99,89%

EDA de Guaratinguetá - 370.930 - 370.474 - 99,88%

EDA de Itapetininga - 318.108 - 313.744 - 98,63%

EDA de Itapeva - 197.021 - 196.174 - 99,57%

EDA de Jaboticabal - 84.944 - 83.520 - 98,32%

EDA de Jales - 382.216 - 381.615 - 99,84%

EDA de Jaú - 128.504 - 127.607 - 99,30%

EDA de Limeira - 121.995 - 120.840 - 99,05%

EDA de Lins - 347.431 - 345.713 - 99,51%

EDA de Marília - 382.811 - 382.811 - 100,00%

EDA de Mogi das Cruzes - 26.740 - 26.506 - 99,12%

EDA de Mogi-Mirim - 89.493 - 84.168 - 94,05%

EDA de Orlândia - 85.432 - 85.186 - 99,71%

EDA de Ourinhos - 243.191 - 243.191 - 100,00%

EDA de Pindamonhangaba - 377.898 - 373.645 - 98,87%

EDA de Piracicaba - 175.594 - 174.935 - 99,62%

EDA de Presidente Prudente - 718.413 - 717.522 - 99,88%

EDA de Presidente Venceslau - 795.874 - 794.477 - 99,82%

EDA de Registro - 119.437 - 118.863 - 99,52%

EDA de Ribeirão Preto - 132.281 - 127.248 - 96,20%

EDA de São João da Boa Vista - 327.655 - 324.357 - 98,99%

EDA de São José do Rio Preto - 439.546 - 437.029 - 99,43%

EDA de São Paulo - 6.250 - 5.912 - 94,59%

EDA de Sorocaba - 158.362 - 150.017 - 94,73%

EDA de Tupã - 326.710 - 325.373 - 99,59%

EDA de Votuporanga - 275.589 - 275.426 - 99,94%

TOTAL DO ESTADO - 10.515.430 - 10.413.600 - 99,03%

Por Teresa Paranhos