Facebook Twitter Youtube Flickr
18/11/2020

Abatedouros clandestinos e fábrica de linguiça caseira são lacrados na região de Mogi Mirim

Na manhã da terça-feira, 17 uma equipe de fiscais da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, em parceria com a Guarda Civil Municipal de Mogi Mirim, lacrou dois abatedouros clandestinos de carne suína e de frango que funcionavam no bairro rural da Ponte Baixa, às margens da rodovia SP-191 (Mogi/Conchal). A fiscalização foi realizada após denúncia anônima.

O médico veterinário da Secretaria Thiago Braga Izidoro, que junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária atua no Centro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (CIPOA) informou que “na propriedade, além do abate clandestino era fabricada linguiça caseira em condições sanitárias bastante precárias. Até uma antiga banheira era usada para depositar a carne de suíno. Também foram encontrados corantes que eram usados para serem misturados à carne”.

No local haviam ainda cabeças de animais abatidos, urubus próximos ao barracão e uma criação de suínos.

O segundo abatedouro foi localizado ainda quando era preservada a área do primeiro abatedouro, mas não foi possível saber se existia conexão entre ambos. Os locais onde funcionavam os abatedouros, assim como os equipamentos utilizados para o fabrico da linguiça foram lacrados. O proprietário foi autuado e toda carne apreendida e imprópria para o consumo foi descartada no aterro sanitário de Paulínia.

Por Teresa Paranhos