Facebook Twitter Youtube Flickr
19/05/2020

Secretaria de Agricultura identifica causa de morte de abelhas na região de Jaú

Alguns cuidados devem ser redobrados quando da criação de abelhas nativas na área urbana. Produtos de uso doméstico para controle de insetos podem conter princípio ativo que causam a morte das abelhas. Foi o que aconteceu em fevereiro na região de Jaú, com a mortalidade de algumas colmeias de abelhas nativas, que estavam abrigadas provisoriamente em uma residência até que fossem destinadas ao meliponário.

Assim que foram observados sinais de mortalidade de grande quantidade de abelhas e presença de abelhas com incoordenação e desorientadas, o proprietário procurou por técnicos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Foram coletadas amostras das caixas acometidas, congeladas, preenchido o formulário de notificação e enviados pela Defesa Agropecuária para análise. “A conscientização do criador e a ação conjunta dos técnicos da extensão rural e da Defesa Agropecuária foram importantes para a rápida identificação da causa da mortalidade”, disse o médico veterinário Julio Simões Marcondes, do Escritório de Desenvolvimento Rural de Jaú, da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável.

O resultado das análises emitido no dia 05 de maio, pelo Laboratório de Ecologia dos Agroquímicos do Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria, comprovou que nas amostras foram detectados resíduos de Fipronil 0,07 micrograma por grama de amostra, o que confirma a suspeita inicial de intoxicação por produtos utilizados para controle de formigas.

“Investigar a causa morte das abelhas é importante para prevenir, diagnosticar, controlar e erradicar doenças, pragas e outros agentes que possam causar danos à saúde das abelhas e a cadeia produtiva de mel e demais produtos de abelhas”, disse a médica veterinária Maria Carolina Guido, da Secretaria, que junto à Defesa Agropecuária responde pelo Programa Estadual de Sanidade das Abelhas (PESAb), ressaltando que o criador deve estar atento à sua criação para detectar precocemente alguma irregularidade e notificar a ocorrência.

A Resolução 41, de outubro de 2019, estabelece que os episódios de mortandade de colônias de abelhas e suspeita ou ocorrência de doenças e pragas são de comunicação obrigatória e imediata ao serviço oficial de defesa agropecuária.

A notificação pode ser feita por e-mail à Defesa Agropecuária (pesabelhas@cda.sp.gov.br), ao escritório regional mais próximo, localizados no site https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/ ou ao Sistema Brasileiro de Vigilância e Emergências Sanitárias (SISBRAVET), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento http://sistemasweb.agricultura.gov.br/sisbravet/manterNotificacao!abrirFormInternet.action

Por Teresa Paranhos