Facebook Twitter Youtube Flickr
23/03/2021

Ação da Defesa Agropecuária contra maus tratos a animais tem final feliz

Bovinos que sofreram maus tratos foram recuperados e leiloados em prol do Hospital de Amo de Jales

O sofrimento de bovinos que foram submetidos ao abandono e ao descaso termina em um leilão virtual cuja venda foi revertida para o Hospital de Amor de Jales, Centro de Prevenção de Câncer, um hospital dedicado ao tratamento oncológico gratuito.

A proteção contra os maus tratos foi iniciada em novembro de 2019 quando da realização de uma ação conjunta de médicos veterinários da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo, que atuam junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária com a Polícia Estadual Militar Ambiental, que estiveram em uma propriedade rural no município de Urania, região do Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) de Jales para averiguação de uma denúncia. No local estavam alojados e vivos, 29 animais, mal nutridos e magros. Três outros animais estavam deitados no solo em agonia por desnutrição e três já estavam mortos e em estado de decomposição.

No dia 10 de fevereiro de 2021 os animais foram levados a leilão virtual em prol do hospital, e vendido pelo valor de R$ 63.758,10.

O bem estar animal é um aliado importante na manutenção da sanidade dos rebanhos. “Um animal maltratado, desnutrido e sob estresse, tem sua condição imunológica piorada, ficando mais susceptível às doenças e de ser reservatório de doenças, além de que pressupõe-se, que animais em estado de abandono sequer são imunizados, tornando-se um grande risco para o rebanho nacional”, disse Luiz Henrique Barrochelo, coordenador da Defesa Agropecuária no Estado. Além de proteger o rebanho “é gratificante saber que os animais salvos ainda vão ajudar no tratamento de pessoas que necessitam do importante cuidado”, disse Barrochelo.

Em nota, o Hospital de Amor, que é uma instituição que atende cem por cento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e atua em dezenas de unidades de tratamento, prevenção, reabilitação e pesquisa, relacionadas à área oncológica, espalhadas pelo Brasil informou que “prezam pela excelência e humanização no atendimento dos milhares de pacientes que chegam diariamente até às suas unidades, espalhadas pelo Brasil e que para continuar oferecendo este tratamento de qualidade toda doação é bem vinda”. Para saber como ajudar acesse www.hospitaldeamor.com.br/doe.

Ação conjunta

Durante a vistoria foi verificado que a propriedade estava desprovida de pastagens, com cobertura vegetal extremamente escassa e os cochos estavam vazios. “Os três bovinos deitados ao solo apresentavam estado adiantado de desnutrição, caquéticos, em decúbito e movimentos de pedalagem e agonia, sendo necessária a eutanásia, pois se permanecessem naquelas condições precárias de manejo, estariam fadados à morte em pouco tempo”, disse o médico veterinário da Secretaria, João Gustavo P. Loureiro, assistente de gabinete junto à Defesa Agropecuária.

Começava ali a busca pela proteção e recuperação física dos bovinos, que foram apreendidos pela fiscalização e, por decisão judicial, doados ao Hospital do Amor. Foi destinado um local adequado, nomeando-se um fiel depositário, nos termos da legislação, onde os bovinos pudessem ser tratados e protegidos até a conclusão do processo de doação. A Coordenadoria de Defesa Agropecuária deliberou as providências para que os animais fossem mantidos em condições adequadas de acondicionamento e transporte que garantiriam o seu bem-estar físico.

A médica veterinária Ieda Dalla Pria Blanco que atua junto ao EDA de Jales relatou que os animais foram transferidos, devidamente documentados para uma propriedade em Jales, tendo sido realizada averiguação do local e conferência do rebanho após sua chegada. “O proprietário cedeu pastagem e se responsabilizou pelos animais mantendo-os sob seus cuidados até que a Defesa Agropecuária autorizasse sua movimentação após apresentação da documentação pertinente comprovando a destinação. Durante sua permanência com o depositário, o EDA de Jales manteve em dia as vacinações dos animais e providenciou a emissão de guia de trânsito animal (GTA) quando foi comprovada a intenção de venda dos mesmos em leilão beneficente”, disse a médica veterinária que acompanhou todo o processo.

Autuação

“O número elevado de bovinos danificou a vegetação nativa da área disponível para pastejo de um total de 3,83 hectares deixando-a em estágio médio de regeneração, ocorrendo o que é chamado de “bosqueamento”, onde foram supressas e extirpadas as camadas mais baixas da vegetação, dificultando-se a regeneração natural da vegetação a seus estágios sucessores” relatou a Polícia Estadual Militar Ambiental, no boletim de ocorrência ambiental “por prática de ato de abuso, maus tratos” e por “degradação ambiental contra a flora” e lavrou três autos de infração ambiental tipificado como crime ambiental, mortes de animais e por danificar vegetação nativa em estágio médio de regeneração.

Por Teresa Paranhos