Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
02/09/2021

Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo completa 23 anos

Construindo a cada dia uma Defesa Agropecuária de excelência no cenário nacional em apoio a quem produz, respeito ao meio ambiente e proteção à saúde pública

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, completou 23 anos de atividades nesta quinta-feira (2/9) e reuniu seus funcionários em uma transmissão comemorativa pelo seu canal no YouTube.

A transmissão, a primeira realizada ao vivo pelo canal, foi apresentada por Erika Ramos Mello, da assessoria técnica e coordenadora substituta, e contou com participação do Secretário de Agricultura e Abastecimento, Itamar Borges e do Coordenador Luís Fernando Bianco.

Itamar Borges foi o primeiro a se apresentar. O Secretário da Agricultura parabenizou a instituição e seus colaboradores e disse “reconhecer a importância da missão desempenhada, na sanidade, na qualidade das cadeias produtivas do agro paulista e do resultado da sua atuação, que é o aumento da competitividade tanto do mercado nacional como internacional, além de contribuir para a proteção do meio ambiente, da saúde pública e do desenvolvimento econômico e social”.

Luís Fernando Bianco, coordenador do órgão, que também é funcionário do quadro da instituição, parabenizou e agradeceu toda a equipe e lembrou que São Paulo é um dos Estados com maior demanda de serviços e ações de defesa agropecuária. “Não podemos esquecer como chegamos até aqui, mas, até nos piores momentos, o que sobressaiu foi o engajamento, a qualidade e a capacidade técnica dos nossos servidores”. Lembrou aqueles que iniciaram a construção da Defesa com o objetivo de manter a sanidade dos rebanhos, evitar a entrada e disseminação de pragas e doenças, trabalharam para a erradicação da febre aftosa, fiscalizaram o uso inadequado dos agrotóxicos no campo, se esforçaram para evitar a transmissão de doenças aos humanos, executaram atividades no programa de brucelose e tuberculose, no controle da raiva dos herbívoros, conservação do solo, segurança sanitária dos alimentos, sem esquecer o atendimento ao público e emissão de documentos.

Affonso dos Santos Marcos, diretor do Grupo de Defesa Sanitária Animal ressaltou ter participado de 13, dos 23 anos que a Coordenadoria completa e diz ter muito orgulho da função que desempenha e contribui na instituição. “Parabenizo a todos e, principalmente, os servidores que desempenham suas atividades junto aos nossos Escritórios de Defesa Agropecuária (EDAs), que são os principais responsáveis pelas ações de Defesa”.

Em nome da equipe vegetal, Alexandre Paloschi, diretor do Grupo de Defesa Sanitária Vegetal, parabenizou a “todos que, a cada dia, conseguem contribuir para uma defesa mais robusta, mais forte”.

O diretor administrativo, Marco Rogério Rodrigues Leal parabenizou a instituição que ao longo dos 23 anos tem procurado cumprir sua missão dentro dos valores estabelecidos. Destacou que a administração vem procurando fortalecer cada vez mais as atividades-fim. “Estamos vivendo um momento de desafios positivos de modernização das nossas estruturas através da aquisição de equipamentos, tecnologia, frota, veículos personalizados para fiscalização entre outras atividades, para que as equipes técnica e de apoio consigam realizar as atividades de defesa da melhor forma através de um ambiente adequado de trabalho e para o público”.

Willian Alves Correa, da assessoria técnica e coordenador substituto, lembrou que “o status sanitário, que hoje o estado de São Paulo tem, é fruto da dedicação de todos aqueles que construíram e a cada dia constroem a Defesa Agropecuária para garantir a sanidade e a qualidade do agro paulista”.

Representando os 40 Escritórios de Defesa Agropecuária, Adão Marin, diretor do EDA de Barretos, que optou por trabalhar na Defesa em função da característica e da importância do trabalho, disse ter “muita gratidão às pessoas e ao acolhimento que recebi com minha vinda para a Defesa em 2012”. Destacou que os atuais profissionais receberam “o legado de pessoas competentes que no passado edificaram a defesa para que os funcionários atuais continuem escrevendo a história, que hoje é diferente, face aos desafios atuais e à redução das equipes”.

César Augusto Martins Moura, diretor do EDA de Avaré, disse ter “muito orgulho de trabalhar com as pessoas com quem tenho contato no meu entorno, que me fazem crescer como ser humano”. Lembrou que a função da instituição “é salvaguardar as culturas e criações no âmbito do território paulista, além da proteção da saúde humana e do meio ambiente”. Concluiu dizendo que “temos uma responsabilidade enorme para com as pessoas, com as culturas, com as criações, com o meio ambiente e com a economia. Do futuro da sociedade paulista, depende a estruturação, o fortalecimento e a consolidação da Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo”.

Sergio Albuquerque, da Unidade de Defesa Agropecuária (UDA) de Tabapuã, do EDA de Catanduva, representando a carreira de apoio, que é fundamental nas ações delegadas à Defesa, falou da satisfação em trabalhar no órgão e agradeceu a todos que partilham dia a dia os trabalhos realizados pelo órgão para a evolução da agricultura paulista.

Erika Ramos Mello ressaltou e reconheceu a importância dos esforços de cada um, em todas as áreas, da sede até o campo, para atingir as metas da Coordenadoria e citou, como exemplo desse reconhecimento internamente ao órgão, o lançamento do Informativo Defesa AgroSP, que terá edição especial neste mês de aniversário da Coordenadoria.

Ao encerrar o evento, Bianco lembrou aqueles que deixaram suas marcas na solidificação da instituição, citando nominalmente o ex-coordenador Heinz Otto Hellwig, falecido no último dia 28 de agosto, aos 71 anos e que coordenou o órgão por duas gestões. “Recebemos um legado. Com a ajuda dos nossos servidores e a cada atividade executada, vamos construir a defesa agropecuária que queremos ser: um modelo de excelência para o nosso País”.

A Coordenadoria foi criada pelo Decreto Estadual n° 43.424/1.998, publicado no Diário Oficial do Estado no dia 2 de setembro, que alterou a subordinação e o nível do, então Departamento de Defesa Agropecuária, da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), ficando o órgão subordinado diretamente à Secretaria de Agricultura e Abastecimento. A estrutura organizacional foi definida pelo Decreto Estadual n° 43.512, de 02 de outubro do mesmo ano.

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária atua com a certeza de estar construindo o futuro com trabalho e competência, focada na defesa da sanidade dos produtos do agronegócio paulista e no respeito à saúde do consumidor e ao meio ambiente.

Por Teresa Paranhos