Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
31/08/2021

Defesa Agropecuária de SP realiza fiscalização em municípios de fronteira com MG

O foco é a sanidade das culturas e rebanhos de São Paulo e a qualidade dos produtos alimentícios que chegam à mesa do consumidor paulista

Uma equipe da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo realizou nos dias 24 e 25 de agosto fiscalizações de trânsito de vegetais, animais e produtos de origem animal em municípios de divisa de São Paulo com o estado de Minas Gerais. A ação contou com o apoio da Policia Militar Rodoviária do Estado de São Paulo.

Foram vistoriados 129 veículos e feita vigilância ativa para doenças vesiculares em 110 bovinos em trânsito. A vigilância ativa busca identificar a presença ou ausência de sinais clínicos de determinada doença. É composta por um conjunto de atividades e de ações com o objetivo de mitigar os riscos de introdução e disseminação dessa doença.

Foram lavrados sete autos de infração relacionados a transporte de animais sem a documentação sanitária correspondente (GTA - guia de trânsito animal) e um auto de infração por transporte de frutas cítricas proveniente de Minas Gerais sem a permissão de trânsito vegetal (PTV), documento necessário para atestar as condições sanitárias dessas frutas.

Foram apreendidos 1200 quilos de queijo, tipo meia cura, que estavam sendo transportados em veículo sem refrigeração, sem embalagem, não continham rótulo com identificação de origem, nem o tipo de inspeção, nem o prazo de validade dos produtos. Os produtos foram apreendidos, condenados e encaminhados ao aterro sanitário da região.

“A Defesa Agropecuária vem adotando uma postura atuante com relação às fiscalizações volantes para garantir a sanidade de culturas e rebanhos de São Paulo e também a manutenção da qualidade dos produtos alimentícios que abastecem a mesa do consumidor paulista. Com relação ao programa de erradicação da febre aftosa essa estratégia é uma das exigências para atingirmos a condição de zona livre sem vacinação”, disse Luis Fernando Bianco, coordenador da Defesa Agropecuária.

Por Teresa Paranhos