Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
28/10/2021

Defesa Agropecuária e Instituto Biológico renovam Termo de Referência

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária e o Instituto Biológico renovaram no mês de outubro, o Termo de Referência para a execução das análises laboratoriais das doenças aviárias, relacionadas ao Programa Estadual de Sanidade Avícola (PESA) e das análises laboratoriais relacionadas ao Programa Estadual de Resíduos de Agrotóxicos e Afins de Uso Agrícola em Produtos de Origem Vegetal (PEARA-POV).

Para o período de 2021/2022, foi destinado ao PESA o valor de R$ 628.270,00 (seiscentos e vinte e oito mil, duzentos e setenta reais) para a realização da análise de 12.530 amostras de soro pela técnica ELISA (ensaio pela imuno-absorção enzimática) e 1.658 pools de suabes de traqueia para análise pela técnica molecular de RT-PCR (reação em cadeia da polimerase pela transcriptase reversa).

Estas análises têm por objetivo avaliar a eficiência vacinal e a circulação de vírus, para que o serviço veterinário estadual decida sobre a manutenção ou a revogação da obrigatoriedade de vacinação contra a Laringotraqueíte Infecciosa (LTI), no bolsão de Bastos e Guatapará, conforme determina a Resolução SAA 06/2019.

O PEARA-POV é um programa de análise de resíduos de agrotóxicos com 100% de rastreabilidade, uma vez que as coletas são realizadas diretamente no campo e próximas às colheitas, o que possibilita identificar os problemas na origem, orientar e propor ao agricultor alternativas tecnológicas para cada situação.

As amostras coletadas são analisadas pelo Laboratório de Resíduos de Pesticidas, do Instituto Biológico (IB), que possui equipe treinada, equipamentos de última geração e é acreditado pelo INMETRO e credenciado pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Para as análises laboratoriais deste programa, foi destinado o valor de R$ 125.000,00 (cento e vinte e cinco mil reais).

Ao contrário de outros programas federais, que coletam produtos nas gôndolas dos supermercados para monitoramento, as amostras coletadas pelo PEARA-POV são de caráter fiscal.

Por João Baltus