Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
31/05/2021

Serviços de Defesa Agropecuária de São Paulo e Mato Grosso do Sul promovem operação conjunta na região fronteiriça entre os estados

Operação sanitária envolveu 39 servidores da Defesa Agropecuária de São Paulo, contou com apoio da Polícia Militar Rodoviária em tempo integral e abrangeu todas as rodovias que interligam os dois estados.

Uma megaoperação conjunta entre os órgãos de defesa agropecuária dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul foi realizada entre os dias 19 e 26 de maio de 2021 na região fronteiriça dos dois estados com a participação de 39 servidores da Secretaria de Agricultura e Abastecimento que atuam junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária, com o apoio de amplo número de policiais militares rodoviários e funcionários do DER. O objetivo da ação conjunta foi inibir o trânsito irregular de animais, vegetais e produtos de origem animal entre os dois estados, visando assegurar a manutenção do privilegiado status sanitário que ambos possuem e garantir alimentos seguros para os consumidores.

No estado de São Paulo 1.638 veículos foram abordados, contendo 8.542 bovinos, 53 equinos, 274.200 aves e 360 suínos, que foram inspecionados. Também foram fiscalizados 936.640 ovos férteis, 4.005 toneladas de produtos de origem animal e 2.050 toneladas de produtos de origem vegetal. A Coordenadoria de Defesa Agropecuária realizou sete apreensões, seguidas de destruição de produtos de origem animal, que somaram 10,5 toneladas e seis apreensões seguidas de destruição de 150 mudas clandestinas. No total, foram lavrados 55 autos de infração, cuja soma dos valores das multas pode chegar a R$ 624.833,39.

No mesmo período, a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do Mato Grosso do Sul (IAGRO) realizou intensa fiscalização de forma ininterrupta no lado sul-mato-grossense. A fronteira entre os dois estados é demarcada pelo Rio Paraná e conta com seis rodovias de interligação. No lado paulista, de Rubinéia (no noroeste do estado) à Rosana (no sudoeste), toda a extensão foi alvo de intensas fiscalizações por equipes que se revezavam de manhã, de tarde e à noite. Esta já é considerada a maior operação de fiscalização volante já realizada pela Coordenadoria em seus quase 23 anos de existência.

“Ao realizar uma ação deste porte, a Coordenadoria de Defesa Agropecuária, mais uma vez, torna explícita a necessidade da continuidade de ações como esta, que trazem à tona a essência da fiscalização aos seus servidores e imprimem diretamente a licitude no meio agropecuário, estimulando a economia e promovendo a sanidade dos nossos rebanhos e culturas, e a rastreabilidade e a segurança dos alimentos de origem animal e vegetal produzidos em nosso estado”, disse Luiz Henrique Barrochelo, coordenador estadual do órgão, que também participou da operação. Barrochelo disse que além dos robustos resultados relatados, a operação resultou em exposição positiva do órgão fiscalizador, trouxe avanços na logística e no modo operacional e teve repercussão massiva dentre as cadeias do Agro paulista.

Equipes preparadas

As doze equipes da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, compostas por médicos veterinários, engenheiros agrônomos e técnicos de apoio agropecuário, estavam preparadas para todas as situações e desafios que enfrentaram no período, disse o médico veterinário João Gustavo Loureiro, assistente de gabinete. “Em meio às abordagens de veículos, conferência de cargas, detecção de várias irregularidades e destruições de produtos e mudas, as equipes procederam, ainda, à suspensão da movimentação animal de duas propriedades e à fiscalização de um abatedouro frigorífico (como desdobramento de uma abordagem de animais em trânsito) que culminou com a condenação de uma série de produtos e suspensão das atividades do estabelecimento por risco à saúde pública”, disse Loureiro.

Um acidente de trânsito envolvendo uma carreta transportando bovinos foi prontamente atendida pelas equipes da operação. A médica veterinária Erika Ramos Mello, coordenadora substituta explica que a Defesa Agropecuária é parte integrante da iniciativa PURAA (Plataforma Unificada para Responder aos Acidentes de Trânsito Envolvendo Animais em Rodovias) a qual desenvolveu os procedimentos operacionais padrão (POPs) para serem usados pela Polícia Militar Rodoviária em casos de acidentes de trânsito envolvendo animais. “As equipes da Coordenadoria de Defesa Agropecuária atuaram garantindo que fossem utilizados os procedimentos descritos nestes POPs, o que fez com que os animais envolvidos no acidente, que estavam em condições de prosseguir caminho em outro veículo, fossem transportados em segurança e garantiu as condições de bem-estar animal aos demais, inclusive, com a eutanásia com método humanitário do único animal que se encontrava ferido, sem condições de ser transportado”, disse Erika.

Munidos de informações obtidas por um trabalho de inteligência realizado pelos órgãos de Defesa Agropecuária e pela experiência em segurança da Polícia, os responsáveis pelas equipes escolhiam o local e o período do dia a ser montada a fiscalização volante. A localização e o horário de trabalho das equipes eram, então, compartilhados entre as duas entidades e toda uma estratégia de maximização de esforços colocada em prática a fim de se alcançar maior abrangência e assertividade nas ações.

Reconhecimento

Registrem-se o reconhecimento e a gratidão da Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo ao Major Marcelo Estevão, Capitães Maurício Cavalari e Fernando Ferreira de Morais representando toda a corporação da Polícia Militar Rodoviária do Estado de São Paulo que prontamente atendeu à solicitação de apoio, à Nathalia Paola Canto, da SAA, pelo apoio administrativo, à Leila Aparecida Mussi, AFFA aposentada do MAPA, pelo apoio no atendimento ao acidente de trânsito, e a todos os seus 39 servidores que se dedicaram imensamente nestes dez dias, envolvendo operação e deslocamento, longe de suas famílias: Affonso dos Santos, Alexandre Paloschi, Alexandre Yamashita, André Louzada, Breno Moscheta, Bruno César Ribeiro, Caio Ramos, Camila Amaral, Cecília Khusala, Dácio Rocha, Danilo Romão, Élcio Carlos Contel, Erika Mello, Fabiano Tomehei, Felipe Gobbi, Fernando Claudio, Franque Reinaldo, Gustavo Scursoni, Helder Esteves, Hélio Soares, Ieda Blanco, Jardel Miranda, Jesualdo Gonçalves, João Gustavo Loureiro, José Gustavo Souza, Luiz Carlos dos Santos, Luiz Henrique Barrochelo, Maiquel da Silva, Marcelo Zonta, Márcio José Florindo, Marcos Antônio Pires, Mônica Fagundes, Priscila Mara Diniz, Rodrigo Machado, Rodrigo Marini, Sara Lima, Sérgio Albuquerque e Yeda Salete.

Editado por Teresa Paranhos