Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária


Facebook Twitter Youtube Flickr
16/11/2022

Campanha de novembro contra febre aftosa já tem mais de 2 milhões de animais imunizados

Atualizado em 16/11/2022 às 16h26

Em todo o Estado, equipes da CDA realizam vacinação assistida para verificação de procedimentos

Com o objetivo de imunizar todo o rebanho de bovídeos (bovinos e bubalinos) do Estado de São Paulo, a campanha de vacinação contra a Febre Aftosa segue em curso até o próximo dia 30 de novembro. Diferente da etapa que ocorreu em maio, no segundo semestre, animais de todas as idades são vacinados contra a enfermidade. A Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), fator de segurança nacional da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) informa que até o momento, foram vacinados 2.904.056 (dois milhões, novecentos e quatro e cinquenta e seis) de bovinos e bubalinos, conforme relatório emitido no Sistema Informatizado de Defesa Animal e Vegetal (Gedave), o que equivale a 27,82% do rebanho paulista.

Ainda de acordo com relatório parcial, 22.387 (vinte e duas mil, trezentos e oitenta sete) propriedades já atualizaram o rebanho no Gedave, computando 18,61% das propriedades mapeadas dentro do Estado.

“Os números estão dentro do esperado em relação à campanha de vacinação de maio”, afirma Breno Welter, médico-veterinário e gerente do Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa (PEEFA).

“Muitos produtores deixam para realizar e até mesmo declarar a vacinação nos últimos dias de campanha. Continuamos visualizando índices superiores aos 99% até o final da etapa”, completa o gerente.

Dentre as 40 regionais da Defesa Agropecuária, a que apresenta o maior número de animais imunizados é a de Mogi Mirim com mais de 40% do rebanho vacinado. Já em relação as propriedades, a regional de General Salgado é a que apresenta a maior porcentagem de declarações, com 25%.

O produtor tem até 7 de dezembro para realizar a declaração da vacinação, preferencialmente por meio eletrônico, através do Gedave. Quando não for possível, o produtor poderá acessar a declaração na internet clicando aqui, preencher e entrega-la pessoalmente na unidade da Defesa Agropecuária mais próxima.

Vigilância ativa durante vacinação assistida

Como vacinar

Atente-se ao armazenamento da vacina

A primeira providência é adquirir as vacinas em estabelecimentos cadastrados junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária. Isso porque todo o estoque de vacina disponível no Estado para comércio durante a etapa da campanha é cadastrado pela revenda no Gedave.

No momento da compra, o volume adquirido pelo criador é transferido, por meio do sistema, para o estoque da propriedade, o que facilita a declaração da vacinação pelo criador. A legislação proíbe o uso de vacinas adquiridas em etapas de vacinações anteriores.

A vacina deve ser mantida refrigerada entre 2 e 8 graus Celsius,  tanto no transporte como no armazenamento, usando uma caixa de isopor, com dois terços de seu volume em gelo para que a vacina não perca sua eficácia, não podendo nunca ser congelada.

Para realizar a vacinação deve ser escolhido de preferência o horário mais fresco do dia, classificando os animais por idade (era) e sexo, para evitar acidentes. A recomendação é usar seringas e agulhas novas e higienizadas, sem o uso de produtos químicos (nem álcool, nem cloro). O local da aplicação é no terço médio do pescoço (tábua do pescoço) por via subcutânea (abaixo do couro). Independentemente da idade, a dose é de 2 ml de vacina. As agulhas devem ser substituídas com frequência (a cada 10 animais), para evitar infecções e os frascos devem ser mantidos resfriados durante a operação.

 

O criador que deixar de vacinar e de comunicar a vacinação estará sujeito a multas que variam de 03 a 05 UFESP’s por animal, sendo de 05 UFESP’s (159,85 reais) por cabeça que deixar de vacinar e 03 UFESP’s (95,91 reais) por cabeça que deixar de comunicar. O valor de cada UFESP - Unidade Fiscal do Estado de São Paulo é de 31,97 reais para o ano de 2022.

Consulta

Além das declarações, o Gedave está disponível para que pecuaristas e produtores acessem informações em relação à compra do imunizante, como por exemplo, quantidade de estoque e estabelecimentos credenciados para o comércio.

Uma vez dentro do sistema Gedave, que pode ser acessado no site da Defesa Agropecuária no link https://gedave.defesaagropecuaria.sp.gov.br/, a pessoa interessada em adquirir a vacina deve pesquisar por “estoque de insumos em comerciantes de produtos biológicos veterinários”.

Mais informações estão disponíveis em www.defesa.agricultura.sp.gov.br/programas/aftosa.

Por Felipe Nunes

x