Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
27/08/2008

Citros: Defesa treina agrônomos para combate ao greening.

27-08-2008 - A Coordenadoria de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado (CDA) vai realizar, nos dias 28 e 29 de agosto (quinta e sexta), o treinamento de 35 dos mais de 70 engenheiros agrônomos contratados no concurso mais recente realizado por ela, para atuarem na campanha de erradicação do greening, doença que hoje afeta 188 municípios paulistas. O treinamento dos demais agrônomos será em setembro.

A parte teórica será no dia 28, em Cordeirópolis, no Centro de Citricultura da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios do Instituto Agronômico da Pasta (Centro Apta Citros "Sylvio Moreira"/IAC/Apta/SAA), em Cordeirópolis, com início às 9 horas. Epidemiologia, sintomas, controle, diagnóstico, procedimentos e legislação estarão entre os temas em pauta. No dia 29 será realizada a parte prática, abrangendo a presença da praga no campo e procedimentos de inspeção e fiscalização. O grupo sairá do Escritório de Defesa Agropecuária de Araraquara - que fica na rua 13 de Maio, 1.352, Vila Xavier - às 8 horas, com destino a propriedades de citros.

São Paulo é o principal produtor nacional de laranja, com 691,26 mil hectares e produção de 368,2 milhões de caixas de 40,8 quilos, em 2007. É o terceiro produto no valor da produção paulista, perde para cana e carne bovina. Gera 400 mil empregos e as exportações de suco da fruta totalizaram US$ 2,35 bilhões no ano passado.

AÇÕES DA SECRETARIA - O Estado tem executado uma série de ações de combate ao greening, como a admissão de 356 novos profissionais para a CDA, que vão reforçar os trabalhos de prevenção à doença. Também está para começar a ser veiculada uma campanha de mídia para conscientização do produtor sobre o seu papel no combate à doença.

Seminários ocorrerão em dez regionais da Secretaria, principalmente para esclarecimento sobre a legislação que rege o assunto e a identificação e controle da doença. Está prevista, ainda, a realização de cursos dirigidos aos produtores, envolvendo sempre órgãos públicos e privados.

A Secretaria está em contato permanente com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o que já resultou numa ação conjunta que envolve também o Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) e órgãos de defesa agropecuária de outros Estados, como Paraná e de Minas Gerais, para combate, de forma integrada, à propagação da praga.

A Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) também faz parte do combate ao greening. Preparou um Curso de Citricultura, em três módulos, destinado aos técnicos de todas as regiões onde a cultura ocorre. No dia 11 de agosto, em Araraquara, foi realizado o primeiro módulo, dedicado a capacitar técnicos para que se tornem multiplicadores do combate à doença. No mesmo dia teve início, em São João da Boa Vista, o primeiro de uma série de seminários regionais de combate ao greening que a Cati realizará até setembro. Todos as ações têm a parceria da CDA e do Fundecitrus.

A Secretaria oferece, ainda, uma linha de financiamento no valor de R$ 100 mil para a fruticultura, incluindo a recuperação de pomares de citros, com juros de 3% ao ano, para produtores rurais com renda bruta anual de até R$ 400 mil. O agricultor deve procurar a Casa da Agricultura local ou agência do Banco Nossa Caixa para obter informações.

PARTICIPAÇÃO DO PRODUTOR - A participação do produtor, no entanto, é crucial. Os relatórios feitos pelos citricultores paulistas no mês de julho mostram que o greening tem avançado pelas propriedades. Eles têm de fazer a inspeção, relacionar as árvores com greening e, na seqüência, erradicá-las, conforme determina a Instrução Normativa nº 32 do Mapa. À Secretaria de Agricultura cabe receber os relatórios e depois fiscalizar quem não cumpriu a instrução. Com inspeções feitas regularmente na propriedade é possível controlar a doença, arrancando-se as árvores doentes, já que esta é a única forma de combate.

Pela instrução, o citricultor deve entregar o relatório semestral de vistoria de plantas cítricas da sua propriedade para a doença a uma unidade de defesa agropecuária onde esteja localizada a propriedade vistoriada. As multas variam de R$ 1.500,00 a R$ 5.000,00, de acordo com o tamanho do pomar e das infrações cometidas. O próximo relatório deverá ser entregue até 15 de janeiro de 2009.

SOBRE O GREENING - Desde o surgimento do greening em São Paulo, em 2004, mais de três milhões de árvores foram erradicadas. O trabalho é realizado em conjunto com o Fundecitrus, que colabora com inspeções. O poder de fiscalizar e autuar cabe à CDA. A doença atinge todas as variedades e é considerada a pior doença do mundo para os citros.

É transmitida por um inseto vetor (o psilídeo Diaphorina Citri). Os principais sintomas são ramos amarelados, folhas mosqueadas (manchas verde-claras ou amareladas), deformação, redução e queda de frutos, maturação irregular dos frutos, desfolha, seca e morte de ponteiros das árvores, manchas circulares verde-claras na casca do fruto, sementes abortadas e maior espessura da parte branca da casca. (Redaçao da SAA)

CONTATOS:

Assessoria de Comunicação/Secretaria de Agricultura - Tel.: 11 5067-0069 - Euzi Dognani/Adriana Rota - www.agricultura.sp.gov.br

Assessoria de Imprensa/CDA – Tel.: 19 3241-4700 – Teresa Paranhos