Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
28/02/2008

Greening: entrega de relatórios aponta necessidade de conscientização.

Balanço realizado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio de sua Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), aponta que 60% dos citricultores entregaram os relatórios semestrais de vistoria de plantas cítricas e erradicação das plantas sintomáticas para combate à doença do huanglongbing (HLB) ou greening, como também é conhecida.

De um total de 13.150 propriedades com citros, localizadas nos 155 municípios onde já foi constatada oficialmente a presença da doença e que estão obrigadas por força da legislação a entregar os relatórios semestrais, foram recebidos pela CDA 7.969 relatórios, dos quais 3.058 indicaram a presença da doença.

No total, foram 125 milhões de plantas inspecionadas pelo citricultor. Destas, 760.000 que apresentavam sintoma foram erradicadas espontaneamente pelos produtores.

“O percentual ficou aquém das nossas expectativas e mostra que o citricultor ainda não está consciente de que a inspeção e erradicação das plantas sintomáticas resultam na proteção à sua propriedade e garantia da sua produtividade”, afirma o secretário de Agricultura, João Sampaio.

Algumas regiões significativas na produção de citros alcançaram índices de 100% ou próximos no número de proprietários que entregaram seus relatórios. É o caso de Avaré, Botucatu, Itapeva e Itapetininga, no sudoeste do Estado de São Paulo, para onde a citricultura migrou nos últimos anos. Também Araraquara, Franca e São José do Rio Preto obtiveram bons índices.

O coordenador da Defesa Agropecuária, Cláudio Alvarenga, destaca que para auditar essa ação de inspeção e eliminação de plantas sintomáticas pelo produtor, relatadas nos relatórios semestrais, a CDA realizou em 2007, 6.000 inspeções, sendo que em 38,5% delas (2.313) foram encontradas plantas suspeitas. Os proprietários foram notificados a realizarem inspeções e eliminar as plantas sintomáticas. Depois de decorrido o prazo previsto na notificação, foram realizadas novas inspeções em 1.098 propriedades, das quais constatou-se que 943 cumpriram a notificação e 155 não cumpriram. Destas últimas, 53 já foram autuadas e as demais estão em processo de autuação

“O preocupante é que as erradicações acontecem normalmente somente depois que o serviço de defesa notifica o produtor. O importante era que essa medida acontecesse de forma voluntária, assim que o citricultor percebesse a doença em seu pomar”, afirma Alvarenga.

Conforme previsto na Instrução Normativa 32 do Ministério da Agricultura, o citricultor deve entregar relatórios semestrais de vistoria de plantas cítricas da sua propriedade para o greening, apontando o número de plantas inspecionadas e as árvores erradicadas. Os relatórios devem ser entregues à CDA nos meses de janeiro e julho. Os últimos foram recebidos até o dia 15 de janeiro deste ano nas unidades de defesa agropecuária onde a propriedade vistoriada está localizada. As multas variam de R$ 1.500,00 a R$ 7.500,00, de acordo com as infrações cometidas.

A apresentação do relatório faz parte das ações de controle da doença, que apareceu no Estado em 2004 e hoje afeta plantações em 155 municípios. Desde o surgimento, mais de 3 milhões de árvores foram erradicadas. O trabalho é realizado em conjunto com o Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) na parte de colaboração na inspeção. O poder de fiscalizar e autuar é da CDA.

Informações:

Assessoria de Comunicação - Tel.: 11 5067-0069

Euzi Dognani/Adriana Rota

Assessoria de Imprensa/CDA - Tel.: 19 3241-4700

Teresa Paranhos