Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
22/08/2008

Mapa recomenda consumo do mel com inspeção oficial.

22.08.2008 - Rico em nutrientes, o mel encontrado no mercado só é seguro quando acompanhado pela certificação do Serviço de Inspeção Federal (SIF) ou da fiscalização estadual ou municipal. “Mel, leite, carne, pescado e ovos são exemplos de produtos de origem animal sujeitos a fiscalização e certificação oficial que validam as condições industriais, higiênicas e sanitárias, antes de serem disponibilizados ao consumidor”, garante o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SDA/Mapa), Inácio Kroetz

A preocupação com a saúde dos consumidores de mel levou a SDA a inserir no novo Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária dos Produtos de Origem Animal (Riispoa) a determinação de constar, nos rótulos do mel, recomendação para que o produto não seja oferecido a crianças menores de um ano

As novas regras estão em consulta pública desde julho e a decisão para o mel visa prevenir o botulismo intestinal infantil, doença desenvolvida devido à formação incipiente da flora do intestino de crianças nessa faixa etária. O problema é causado pela presença de esporos da bactéria Clostridium botulinum, que são comuns no meio ambiente e podem contaminar o mel por meio do ar, do néctar, do pólen e da própria abelha, não sendo eliminados durante o processamento. Em adultos que não apresentam problemas intestinais, a ingestão desses esporos no mel com a certificação oficial não acarreta problemas à saúde.

Há dois anos, o tema é discutido nas reuniões da Câmara Setorial do Mel. Um grupo temático, criado para estudar a relação entre o consumo de mel por bebês e o desenvolvimento do botulismo, constatou que não há registros de casos de botulismo intestinal infantil no País.

O presidente da Confederação Brasileira de Apicultura (CBA), José Cunha, que representa 350 mil apicultores do País, lembra que a qualidade do mel nacional é reconhecida, inclusive pela União Européia, um dos mercados mais exigentes do mundo. “Estamos atuando junto ao Ministério da Agricultura, promovendo ações que incentivam as boas práticas de produção o que, conseqüentemente, garante ao consumidor o mel certificado”, completou. (Fonte: Mapa)