Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
21/01/2015

Brucelose: Defesa Agropecuária divulga índice de vacinação de 2014 em São Paulo.

Em 2014 o estado de São Paulo vacinou 817 mil bezerras contra a brucelose.

Dados do sistema Gedave – Gestão de Defesa Animal e Vegetal, da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, mostram que durante o segundo semestre de 2014, o estado de São Paulo registrava um rebanho de 409.327 fêmeas bovinas e bubalinas, com idade entre três a oito meses, aptas a serem vacinadas contra a brucelose. Os dados apresentados pelos criadores mostram que 88,14% desses animais foram vacinados.

Segundo Klaus Saldanha Hellwig, médico veterinário responsável pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose “como as fêmeas bovinas e bubalinas recebem apenas uma dose de vacina contra a brucelose, fechamos 2014 com um total de 817.578 fêmeas vacinadas. O índice de vacinação anual fechou em 88,95%, superior aos anos anteriores: 81,86% em 2012 e 83,55% em 2013”.

Esse aumento é resultado da implantação do sistema Gedave em 2012, juntamente com o alinhamento da data de entrega da declaração de vacinação contra a brucelose, que passou a ser a mesma determinada para a entrega da declaração da vacinação contra a febre aftosa; conscientização da classe produtiva sobre os potenciais prejuízos causados pela brucelose ao rebanho e à saúde humana, completou Hellwig.

O criador que não vacinou ou deixou de comunicar a vacinação até a data estabelecida pela legislação pode sofrer penalidades de 5 Ufesps por cabeça, por deixar de vacinar e 3 Ufesps por cabeça, por deixar de comunicar a vacinação. O valor de cada Ufesp - Unidade Fiscal do Estado de São Paulo é R$ 21,25.

BRUCELOSE - É uma zoonose (doença que acomete os animais e o homem) infecto-contagiosa causada pela bactéria Brucella abortus. Nos bovinos pode causar abortamento; nascimento de bezerros fracos; retenção de placenta; repetição de cio e descargas uterinas com grande eliminação da bactéria, além de inflamação nos testículos. Em São Paulo a vacinação é obrigatória desde 2002.

CONTATO (para imprensa):

Assessoria de Imprensa/Defesa Agropecuária – 19 – 3045-3350 – Teresa Paranhos – tparanhos@cda.sp.gov.br