Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Facebook Twitter Youtube Flickr
02/06/2016

Produtores têm até 7 de junho para comunicar vacinação do rebanho contra a febre aftosa

Os produtores paulistas devem comunicar, até a próxima terça-feira, 7 de junho, a vacinação do seu rebanho contra a febre aftosa pelo Sistema Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave) ou nos Escritórios de Defesa Agropecuária (EDA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Realizada entre os dias 1º e 31 de maio pela Coordenadoria de Defesa Agropecuária, a primeira etapa da campanha contra a febre aftosa de 2016 prevê imunizar 4,5 milhões de bovídeos de até 24 meses de idade.

Dados apurados pela Defesa até 1º de junho indicam que 88.645 propriedades, o equivalente a 77,2% do total, já registraram no sistema online a vacinação de 3.853.987 bovídeos, ou 84,8% dos bovídeos envolvidos na etapa.

Entre as declarações inseridas no sistema Gedave, 63,6% foram realizadas por usuários externos, ou seja, pelos produtores rurais ou seus representantes, e 36,4% foram declaradas por funcionários do serviço oficial.

De acordo com o médico veterinário da Defesa Agropecuária, Hugo Leonardo Riani Costa, desde a implantação do Gedave, em 2012, houve um aumento no envio das declarações online pelos produtores. “Em 2013, cerca de 40% das comunicações de vacinação foram enviadas pelos produtores ao sistema online, e em 2015, este número chegou a 50% do total. Os técnicos da Defesa têm fornecido importantes orientações sobre o Gedave e os produtores podem se sentir mais confiantes para realizar o cadastro no sistema na próxima etapa da vacinação, em novembro”, comentou.

O coordenador da Defesa, Fernando Buchala alerta que aqueles que não vacinaram os animais no prazo terão as propriedades interditadas, para efeito de movimentação de animais, entrega de leite, produtos e subprodutos, e deverão vacinar o rebanho de forma compulsória. “Além disso, receberão auto de infração no valor de 5 UFESPs por animal não vacinado e 3 UFESPs por animal não declarado”, explicou. O relatório oficial da etapa de vacinação deverá estar disponível a partir do dia 30.

“O Estado de São Paulo detém apenas 5% do rebanho nacional, mas recebe cerca de 24% do total de animais do País para terminação e abate. A campanha de vacinação contra a febre aftosa é importante para garantir a sanidade do rebanho paulista e a saudabilidade dos alimentos, uma das diretrizes do governador Geraldo Alckmin”, ressaltou o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim.

Sobre a campanha

Oficialmente lançada pelo secretário Arnaldo Jardim durante a Agrishow 2016, a primeira etapa da vacinação contra a febre aftosa de 2016 trouxe ainda medidas da Pasta com o foco de assegurar ao estado de São Paulo o reconhecimento do status de livre da doença sem vacinação até 2020, junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

As medidas adotadas estão em consonância com as definições da 43ª Reunião Ordinária da Comissão Sulamericana para a Luta contra a Febre Aftosa (Cosalfa), realizada no mês de abril, e prevê: o incremento da quantidade de vacinações assistidas contra a febre aftosa, especialmente nas propriedades de maior risco e nas propriedades com rebanho inferior a 50 cabeças; identificação e cadastramento das propriedades de maior risco; vigilância ativa em número significativo de propriedades rurais, especialmente naquelas consideradas de maior risco; intensificar as fiscalizações de trânsito de animais e produtos de origem animal, com barreiras fixas (principalmente em divisas estaduais) e fiscalizações volantes; e as fiscalizações em eventos de concentração animal; treinamento (teórico e prático) do corpo técnico e preparação para que possíveis focos sejam erradicados no menor tempo possível, com menor número de animais acometidos, impacto financeiro e recuperação do “status” de livre o quanto antes; e estímulo à participação comunitária na defesa sanitária animal.

Na etapa de maio de 2015, foram vacinados 4.173.816 bovídeos na faixa etária de zero a 24 meses, representando um índice de cobertura vacinal de 99,43% do total. Já em novembro de 2015, quando todos os animais devem ser imunizados, foram vacinados 10.280.723 bovídeos, ou seja, 99,03% do total.

A equipe da Defesa Agropecuária da Secretaria acompanhou as vacinações em 1.138 propriedades na etapa de maio e 1.155 na etapa de novembro.

Por Paloma Minke

Outras informações

Assessoria de Comunicação

Assessoria de Comunicação Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (11) 5067-0069